Neonazismo: Polícia Civil conclui inquérito sobre ataque a vereador de Porto Alegre

Neonazismo: Polícia Civil conclui inquérito sobre ataque a vereador de Porto Alegre

Jovem de 25 anos foi indiciado por ameaça, coação e injúria

Correio do Povo

Suspeito aparece com touca ninja e faca em celular apreendido

publicidade

O inquérito sobre um indivíduo ligado a grupos neonazistas, que atacou o vereador Leonel Radde (PT) de Porto Alegre, foi concluído e remetido pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira ao Poder Judiciário. Responsável por comandar a investigação, o diretor do Grupamento de Operações Especiais da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), delegado Marco Antônio Duarte de Souza, fez o indiciamento de um jovem de 25 anos por ameaça, coação e injúria.

“Os fatos foram praticados ainda quando o vereador, policial civil, estava coletando informações sobre grupos ligados ao nazismo na Região Metropolitana”, observou. “Outros suspeitos são investigados por terem participação nos crimes”, acrescentou o delegado Marco Antônio Duarte de Souza.

O vereador, quando atuava como policial civil, apurava a realização de festivais de música para divulgar propaganda neonazista na Região Metropolitana de Porto Alegre. O investigado passou então a atacar o vereador através de telefones e redes sociais. “O indiciado admitiu que era o responsável por utilizar as contas vinculadas às ameaças”, explicou o diretor da CORE.

No final de agosto do ano passado, a equipe da CORE cumpriu mandado de busca na residência do indivíduo que já possui antecedentes por crimes de ameaça, porte ilegal de arma, lesão corporal, dano ao patrimônio público, posse de drogas, perturbação à tranquilidade e violência doméstica. 

Na época, o delegado Marco Antônio Duarte de Souza disse que o objetivo era o de buscar armas e materiais de divulgação de conteúdo neonazista, além de tentar identificar os demais componentes do bando. “Conseguimos confirmar que o suspeito realmente participava de grupos para propagandas neonazista e coletamos muito material de divulgação digital na internet”, disse na ocasião.

Um dos materiais recolhidos naquela ação foi um cartaz intitulado “Como matar um antifa” onde é ensinado como esfaquear alguém corretamente. Antifa refere-se aos ativistas antifascistas. Os policiais civis também conseguiram as imagens de um vídeo curto de celular onde o suspeito, com uma touca ninja, aparece empunhando uma faca.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895