Nova semana de depoimentos no caso da morte de Rafael Mateus Winques

Nova semana de depoimentos no caso da morte de Rafael Mateus Winques

Justiça ouve 16 testemunhas na Comarca de Planalto

Correio do Povo

Mãe confessou ter matado o filho em maio deste ano

publicidade

A Justiça ouve ao longo desta semana 16 testemunhas no caso da morte de Rafael Mateus Winques, de 11 anos, ocorrida em maio deste ano em Planalto. Os depoimentos começaram nesta segunda-feira, sob a coordenação da Juíza de Direito Marilene Parizotto Campagna, na Comarca de Planalto. O interrogatório da acusada, Alexandra Salete Dougokenski, mãe do menino, que fecha essa fase processual, está marcado para a próxima sexta-feira, dia 18.

Além da magistrada, as audiências têm a participação dos Promotores de Justiça Michele Taís Dumke Kufner e Diogo Gomes Taborda, os advogados de defesa da mãe da vítima, Jean Severo, Filipe Trelles, Gustavo Nagelstein e Marco Dorigon, bem como dos representantes da assistência de acusação. Entre as 16 testemunhas estão duas peritas e um médico-legista do Instituto-Geral de Perícias, a mãe e o irmão de Alexandra, o irmão do menino, uma outra professora da criança, uma conselheira tutelar e um delegado da Polícia Civil. Na semana passada prestaram depoimento sete pessoas, incluindo o pai de Rafael, o namorado da mãe da criança na época, um inspetor e delegado da Polícia Civil.

A denúncia contra Alexandra Salete Dougokenski, que confessou à polícia a autoria do assassinato, foi recebida pela Justiça em 13/7. Ela responde por homicídio qualificado e outros três crimes conexos - ocultação de cadáver, falsidade ideológica e fraude processual. Cumpre prisão preventiva na Penitenciária Municipal de Guaíba desde o início de julho.

A denúncia contra Alexandra, que confessou a autoria do assassinato à Polícia Civil, foi recebida pela Justiça em 13 de julho deste ano. Ela responde por homicídio qualificado e outros três crimes conexos: ocultação de cadáver, falsidade ideológica e fraude processual. A ré cumpre prisão preventiva na Penitenciária Municipal de Guaíba desde o início de julho.

Rafael Mateus Winques desapareceu em 15 de maio deste ano. O corpo foi encontrado dez dias depois, em uma caixa de papelão colocada no terreno da casa vizinha ao lado da que residia com a mãe e o irmão, no bairro Medianeira, em Planalto. A causa da morte indicada pela perícia foi asfixia mecânica, provocada por estrangulamento.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895