Operação contra facção do tráfico em Gramado termina com 18 presos

Operação contra facção do tráfico em Gramado termina com 18 presos

Alguns mandados foram cumpridos em presídios da região da Serra

Halder Ramos

Os delegados Gustavo Barcellos e Heliomar Franco concederam coletiva pela manhã

publicidade

O aumento no número de execuções violentas mobilizou a Polícia Civil de Gramado na manhã desta terça-feira. Dos seis homicídios registrados no município em 2018, quatro possuem ligação com o tráfico de drogas e a facção Os Manos. Mais de 80 agentes cumpriram 41 ordens judiciais – 19 mandados de prisão e 22 de busca e apreensão. Além de ações em bairros de Gramado, foram cumpridos mandados no Presídio Estadual de Canela, na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e outras duas casas prisionais, que não foram reveladas pela Polícia. A ofensiva terminou com a prisão de 18 pessoas. 

Nove mandados de prisão foram cumpridos nas penitenciárias e outros seis suspeitos de envolvimento com a facção foram presos em Gramado. “Nas buscas, tivemos um preso em flagrante por tráfico, que estava com certa quantidade de drogas. Ele estava em liberdade provisória por envolvimento em homicídio ocorrido em outubro do ano passado, quando houve a primeira execução com a marca da facção, ou seja, diversos disparos, alto poder bélico e uso de armamento restrito”, revela o delegado Gustavo Barcellos, titular da DP Gramado.

Conforme a Polícia Civil, o líder do grupo na cidade é Marisan de Freitas, que cumpre pena na Pasc. “Tudo passa por ele. Desarticulamos um braço da facção, mas o crime se reorganiza. O principal recado é que não vamos aceitar execuções violentas, com vítimas sendo mortas com mais de 20 tiros em vias públicas”, afirma o delegado. Também foram identificados gerentes e distribuidores de droga. “Conseguimos pegar o varejista, o distribuidor, o gerente e o líder da facção”, diz Barcellos. Em dois meses de investigações dos homicídios, foram apreendidos 8 quilos de maconha, 500 gramas de cocaína, 80 gramas de crack e armas de uso restrito. Dois suspeitos de envolvimento com a facção e com os homicídios haviam sido presos em julho. “Tivemos que antecipar duas prisões para não perder materialidade. No total, foram presos 18 membros da facção ao longo das investigações”, afirma Barcellos.



Segundo o delegado, dois homicídios estão esclarecidos e os suspeitos presos. “Nos outros dois casos de 2018, um está encaminhado e outro ainda carece de maior comprovação”, afirma. O delegado regional Heliomar Franco destaca que a Polícia Civil atua de forma sistemática na repressão qualificada às facções criminosas gaúchas. “Não vai ser só em Gramado que vai ocorrer essa ação. Em outras cidades, já ocorreu e vai continuar ocorrendo. No entanto, Gramado, por sua peculiaridade, dedica uma atenção muito especial. Não vamos tolerar o avanço de facção criminosa em Gramado”, afirma Franco. 

Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895