Operação contra facção Os Manos é deflagrada pela PF no RS e no Paraná

Operação contra facção Os Manos é deflagrada pela PF no RS e no Paraná

Organização criminosa tem mais de R$ 20 milhões em bens sendo sequestrados judicialmente

Correio do Povo

Houve o cumprimento de 295 ordens judiciais no Rio Grande do Sul e no Paraná.

publicidade

A Polícia Federal desencadeou nesta quinta-feira uma ofensiva contra a facção criminosa Os Manos. A operação Antracnose foi deflagrada com o cumprimento de 295 ordens judiciais, incluindo 35 mandados de prisão preventiva e 39 mandados de busca e apreensão, no Rio Grande do Sul e no Paraná. Os alvos foram em Novo Hamburgo, Campo Bom, Estância Velha, Portão, São Sebastião do Caí, Nova Hartz, Tramandaí e Tapes, além das cidades paranaenses de São Miguel do Iguaçu e Medianeira.

Estão sendo sequestrados mais de R$ 20 milhões em bens do narcotráfico, além do arresto de centenas de veículos de luxo e imóveis. Houve ainda o bloqueio de 111 contas bancárias de pessoas físicas e de empresas, cujos valores serão contabilizados. Durante a ação, no piso de uma residência, os agentes encontraram entorpecentes escondidos em um compartimento sob o piso de cerâmica. Ordens judiciais também foram executadas em um haras com mais de 150 cavalos de raça e cabeças de gado, uma empresa de torneios de videogames, revendas automotivas e oficinas mecânicas.

Cerca de 200 agentes foram mobilizados. A Brigada Militar, através de mais de 100 policiais militares do 1º Batalhão de Polícia de Choque, Batalhão de Operações Policiais Especiais e do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio dos Sinos, prestou apoio na ação.

Mandados são cumpridos no RS e no Paraná / Foto: PF / Divulgação / CP 

A investigação apura sobretudo os crimes de lavagem de dinheiro do tráfico internacional de drogas e crimes contra o sistema financeiro nacional. Em seis meses de monitoramento foi identificada a movimentação de aproximadamente quatro toneladas de cocaína do Paraguai para a região do Vale do Rio dos Sinos. Os carregamentos semanais variavam entre 100 e 400 quilos.

Os policiais federais identificaram e mapearam também os níveis hierárquicos mais altos da organização e constataram uma sofisticada estrutura de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro nacional. O esquema visava o pagamento dos carregamentos de drogas e de armamentos, sendo os valores remetidos para o Paraguai.

No decorrer do trabalho investigativo e em cooperação policial internacional, uma das maiores lideranças da facção foi presa no território paraguaio. Trata-se do criminoso conhecido como Nenê, de 37 anos, que estava foragido e foi capturado em agosto deste ano pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai, com apoio da Polícia Federal.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895