Operação contra grupos de facções criminosas rivais é desencadeada na Região Metropolitana

Operação contra grupos de facções criminosas rivais é desencadeada na Região Metropolitana

Ação mobilizou a Draco de Canoas e o 15º BPM em sete cidades, resultando em 14 presos

Correio do Povo

Houve o cumprimento de 62 ordens judiciais em sete cidades

publicidade

A Polícia Civil e a Brigada Militar desencadearam na manhã desta quinta-feira a operação Fusão contra dois grupos de facções criminosas rivais, ambos envolvidos com o tráfico de drogas e investimento em armas na Região Metropolitana de Porto Alegre. Estão sendo investigados 40 suspeitos, sendo que 14 já foram presos. Entorpecentes, telefones celulares e simulacro de arma de fogo foram recolhidos.

A ação foi conduzida pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Canoas, coordenada pelo delegado Thiago Lacerda, e pelo 15º BPM, sob comando do tenente-coronel Jorge Dirceu Filho.

Houve o cumprimento de 62 ordens judiciais, sendo 46 mandados de busca e apreensão, seis mandados de prisão preventiva e dez mandados de prisão temporária em Canoas, Porto Alegre, Cidreira, Alvorada, Guaíba, Viamão e Lajeado. Mais de 200 policiais civis e militares foram mobilizados.

As investigações duraram mais de um ano e foram decorrentes de outras prisões realizadas no combate à criminalidade. Os grupos criminosos possuem forte envolvimento na distribuição de pontos de tráfico e farto armamento para domínio dos territórios. Conforme os policiais civis, os investigados possuem antecedentes por tráfico de drogas, homicídio, latrocínio, roubos a estabelecimentos comerciais, roubos de veículos e porte ilegal de arma de fogo.

O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, ressaltou que a Draco de Canoas tem “focado em desmantelar organizações criminosas voltadas ao tráfico de drogas, já que a desarticulação desses grupos traz mais segurança a sociedade em razão principalmente da redução dos homicídios que na sua grande maioria são relacionados a disputas por pontos de tráfico”. Segundo ele, o foco da ação é sobretudo a redução dos homicídios e a repressão ao tráfico de drogas.

Já o delegado Thiago Lacerda destacou que “a repressão ao tráfico de drogas tem reflexo direto nos índices de criminalidade, já que o desmantelamento desses grupos criminosos contribuem significativamente para redução dos índices de crimes correlatos no Estado, como crimes patrimoniais e homicídios”.

Por sua vez, o tenente-coronel Jorge Dirceu Filho enfatizou que “o trabalho exaustivo de inteligência de ambos os órgãos, mesclado com ações de investigação da Draco de Canoas e operacionais da Brigada Militar ao longo deste ano, tem seu sucesso exaltado com os resultados finais desta operação, que impactará significativamente na redução da criminalidade no município”.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895