Operação Integrada Força Total é lançada no combate à criminalidade na região Metropolitana

Operação Integrada Força Total é lançada no combate à criminalidade na região Metropolitana

Ação em Porto Alegre teve confronto com traficantes no Partenon

Sidney de Jesus

Ação busca coibir criminalidade em vários pontos

publicidade

A Brigada Militar deu início na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre, à Operação Integrada Força Total. A ação, que se estende até o dia 29, teve a participação de agentes da BM, Polícia Civil e Guarda Civil e foi realizada de forma simultânea nas regiões Metropolitana, Vale do Rio dos Sinos e Serra, para garantir a efetividade da segurança e aprofundar a redução dos indicadores de criminalidade.

Durante a ação na Capital, policiais militares e civis realizaram abordagem nos locais de maior índice de criminalidade em Porto Alegre. Enquanto os agentes realizavam incursões a pé e com viaturas pelos bairros, um helicóptero sobrevoava os locais para auxiliar na operação.

Numa das abordagens, na Vila Maria da Conceição, bairro Partenon – local com histórico de disputas violentas pelo tráfico de drogas – os agentes foram recebidos a bala por bandidos ligados ao tráfico de entorpecentes. No confronto, dois menores foram apreendidos e um criminoso foi atingido por policiais do 19º Batalhão de Polícia Militar. Morreu ao dar entrada no Hospital de Pronto Socorro. “Ao entrar na Vila nossas equipes se depararam com pessoas ligadas ao tráfico que perceberam a nossa entrada e partiram para o confronto. Durante o ataque conseguimos apreender dois menores e atingir um criminoso”, revelou o Cel Bueno, comandante do 19 BPM, que destacou que “a prioridade da operação é garantir a segurança em pontos da Capital com ocorrência de homicídio e tráfico”.

“A Operação Integrada Força Total visa reduzir os índices criminais, sobretudo os violentos, letais e intencionais, para que possamos estabelecer a meta de redução estabelecida para o mês de novembro, que é menos de 140 crimes ocorridos no mesmo período do ano passado”, destacou o Sub Comandante Geral da BM, Cel Claudio Feoli, lembrando que cerca mil policiais participam da operação nas regiões. “ A operação se concentra em dois eixos: um eixo de visibilidade, já aproveitando os recém-formados no curso básico de formação, e também no de repressão qualificada, onde temos as forças táticas dos batalhões de área e do comando de choque atuando nos locais onde mais acontecem os crimes que pretendemos reduzir”, ressaltou Feoli.

Participam da ação o Comando de Polícia de Choque (CPChq) - com pelotões de choque e policiais militares cinófilos acompanhados de cães farejadores -, o Batalhão de Aviação da BM (BAvBM) - com o patrulhamento aéreo -, guarnições do 4º Regimento de Polícia Montada (4° RP Mon), e os policiais militares da Força Tática e do policiamento ordinário que atuam nos Comandos Regionais de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO-Serra), do Vale do Rio dos Sinos (CRPO - VRS), Metropolitano (CPM) e da Capital (CPC). A Polícia Civil atua no apoio com equipes volantes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895