Operação prende suspeitos de homicídios e de expulsar moradores de condomínio em Canoas
capa

Operação prende suspeitos de homicídios e de expulsar moradores de condomínio em Canoas

Facção tirou habitantes de construção do Minha Casa Minha Vida para abrigar criminosos

Por
Correio do Povo

Ação é coordenada pela 2ª Delegacia Regional Metropolitana

publicidade

Uma operação conjunta da Polícia Civil (PC) e da Brigada Militar (BM) prendeu seis pessoas na manhã desta sexta-feira, em Canoas, por envolvimento em cinco homicídios na cidade nos últimos meses. A ação ocorreu em um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida, no bairro Guajuviras, onde membros de uma facção criminosa expulsaram residentes para que os locais fossem usados como esconderijo para os responsáveis pelos assassinatos. Ao menos sete moradores foram ameaçados e tiveram que deixar suas residências.

Cerca de 100 agentes – 40 da PC e 60 da BM – cumpriram 20 mandados judiciais, sendo nove de prisão preventiva e 11 de busca. De acordo com o titular da delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP), Thiago Carrijo, os detidos são quatro homens e duas mulheres, presas em flagrante por tráfico. Uma delas, inclusive, tinha contra si um dos pedidos de prisão. Também foram recolhidas com o grupo uma pistola 9mm e drogas.

Segundo o diretor do 2º Departamento de Polícia Regional Metropolitana (DPM) de Canoas, delegado Mario Souza, eles eram acionados para executar rivais e devedores. Os crimes investigados pelas autoridades nesta operação são um duplo homicídio no condomínio residencial João de Barro, no bairro Niterói, em Canoas, uma tentativa de morte no bairro Guajuviras e o desaparecimento de duas pessoas. Uma delas foi encontrada numa cova rasa em Nova Santa Rita, há cerca de 20 dias. 

Conforme o major Dirceu, do 15º Batalhão de Canoas, "essa operação vem coroar uma série de ações que vêm sendo realizadas de forma integrada". "A operação se iniciou com algumas prisões e dados levantados através da Brigada Militar que foram levados ao delegado Carrijo. Isso veio contribuir e elucidar os casos. Essas prisões complementam uma série de fatos ocorridos aqui em Canoas e de outros crimes que nós conseguimos elucidar e prender os autores", explica.

* Com informações da repórter Luize Baini, da Record TV RS