Organização criminosa cobrava "mensalidade" da prostituição em Cruz Alta

Organização criminosa cobrava "mensalidade" da prostituição em Cruz Alta

Grupo investigado pela Polícia Civil tem envolvimento com tráfico de drogas e homicídios

Correio do Povio

Operação da Draco teve 15 prisões

publicidade

Uma organização criminosa de Cruz Alta, envolvida com tráfico de drogas e homicídios, cobrava também “mensalidade” de casas de prostituição e fornecia com exclusividade entorpecentes para comercialização nestes locais. A descoberta é da Polícia Civil, que deflagrou na manhã desta sexta-feira a operação Puzzle.

Agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), sob comando do delegado Rafael dos Santos, prenderam 15 criminosos durante a ação. Um dos detidos estava em Florianópolis, em Santa Catarina. Houve a apreensão de drogas, armas, munições e telefones celulares, entre outros objetos.

As investigações começaram há cerca de dez meses, sendo comprovado que a organização criminosa atuava em vários bairros da cidade. Os policiais civis apuraram ainda que o grupo promovia também arremessos de entorpecentes para o interior do Presídio de Cruz Alta. A liderança da organização criminosa estava recolhida neste estabelecimento prisional e foi recentemente transferida para outra penitenciária gaúcha.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895