Organização criminosa de narcotráfico e lavagem de dinheiro é alvo da PF no Paraná

Organização criminosa de narcotráfico e lavagem de dinheiro é alvo da PF no Paraná

No Rio Grande do Sul, a operação ocorreu na cidade de Getúlio Vargas

Correio do Povo

Houve o cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão preventiva

publicidade

A Polícia Federal do Paraná deflagrou na manhã desta terça-feira a operação Solis com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa especializada na lavagem de dinheiro proveniente dos crimes de tráfico de drogas, associação para o narcotráfico e até casas de prostituição. Uma das ordens judiciais foi cumprida na cidade de Getúlio Vargas, no Rio Grande do Sul.

Cerca de 90 agentes executaram 17 mandados de busca e apreensão e outros nove mandados de prisão preventiva. Além do RS, a ação ocorreu nos municípios de Boa Vista da Aparecida, Cascavel, Colombo, Curitiba, Matinhos e Piraquara, no Paraná, e ainda em Blumenau, Florianópolis e Massaranduba, em Santa Catarina. Documentos, dinheiro, veículos, armas e munições foram recolhidos.

Para efetuar a lavagem de dinheiro, os criminosos utilizavam empresas, uma delas fictícia no ramo se energia solar, com o objetivo de dar aparência de legalidade aos negócios e a ostentação de bens e valores frutos dos crimes praticados.

Conforme os policiais federais, uma das formas utilizadas na lavagem de dinheiro é o recebimento de valores nas casas de prostituição mediante máquinas de cartão de crédito vinculadas a empresas do ramo de cosméticos e energia solar.

Durante o período investigado, o líder da organização criminosa movimentou mais de R$ 1,6 milhão no sistema bancário, ostentando assim carros de luxo, lanchas aquáticas e casas na praia, entre outros. Ele residia na cidade paranaense de Boa Vista da Aparecida.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895