Pai de Jairinho diz que Henry não tinha lesões e que laudo é falso

Pai de Jairinho diz que Henry não tinha lesões e que laudo é falso

Coronel Jairo disse, em depoimento, que foram produzidos cerca de seis laudos sobre, sendo o último 44 dias após a morte de Henry

R7

Audiência acontece nesta terça-feira

publicidade

O coronel Jairo, pai do ex-vereador Jairinho, em audiência nesta terça-feira, afirmou que o corpo do menino Henry Borel não tinha lesão, como apontou a autópsia. "Cheguei no hospital, coloquei a mão no coração do Henry e comecei a orar. Nesse momento, vi que o corpo do menino não tinha machucados no rosto nem na parte da frente.”

Durante as perguntas do promotor, coronel Jairo afirmou, ainda, que o laudo pericial "é falso". “Não sei de onde vieram as lesões apontadas na perícia”. De acordo com ele, foram produzidos cerca de seis laudos sobre o caso, sendo o último 44 dias após a morte do menino.

Ao ser indagado sobre as agressões que o menino Henry sofria,  o coronel Jairo contestou, dizendo que "nunca ninguém disse isso. Esse assunto foi dito pela imprensa". 

"Invadiram minha casa", diz tia de Jairinho

A tia de Jairinho, Herondina de Lourdes Fernandes, foi a terceira a ser ouvida em audiência. Segundo a testemunha de defesa, policiais invadiram a casa dela, em Bangu, para prender Jairo e Monique, em abril.

"Quebraram o vidro da minha casa. Não tinha necessidade disso (...). Ele [Jairo] não estava escondido, estava na minha casa", declarou a familiar, que afirmou ser comum o convívio frequente entre os familiares do réu.

No momento da prisão, Herondina disse que Jairo estava em um quarto no segundo andar. Ela ressaltou que o delegado Henrique Damasceno, responsável pelas investigações, falou para o Jairo: "eu falei que ia te pegar e te peguei!".

A tia do réu comentou que se os celulares tivessem sido jogados para fora da residência, os aparelhos ficariam em uma tela que dá para o jardim de inverno ou cairiam na rua, que estava cheia de profissionais da imprensa. Ao ser questionada se a polícia mentiu sobre o fato do casal ter tentado esconder os objetos, ela confirmou: "com toda a certeza!". "Minha casa virou um espetáculo", comentou a parente, sobre episódios em que tem a casa reconhecida por populares.

Amigo diz que Jairinho era "carinhoso"

Thiago Kwiatkowski Ribeiro, ex-vereador e atual conselheiro do Tribunal de Contas da cidade do Rio, confirmou ter conhecido Monique Medeiros na posse dos vereadores, no dia 1º de janeiro, além de ter ido uma vez no apartamento do casal, na Barra da Tijuca, zona oeste da capital. A visita teria acontecido no final daquele mês ou no início de fevereiro.

A testemunha explicou que conhecia Jairo desde 2012 e a ligação com o réu tornou-se mais íntima ao longo do tempo, incluindo almoços juntos de amigos e familiares. "Primeiramente, era uma relação de trabalho, que passou a ser de amizade". Pai de uma filha de 2 anos e meio e com a esposa que está grávida de 6 meses, Thiago Ribeiro diz ter se surpreendido com o caso.

"Até hoje não consigo entender o que aconteceu. Não condiz com a figura que nós [vereadores] conhecemos ao longo desses nove anos. Dos 51 vereadores da Casa, Jairinho com certeza era um dos mais carinhosos", afirmou a testemunha.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895