PF combate no RS grupo hacker que invadia sistema de órgãos públicos e servidores
capa

PF combate no RS grupo hacker que invadia sistema de órgãos públicos e servidores

Operação com amparo judicial ocorre em Porto Alegre e Nova Bassano, no Rio Grande do Sul, e Fortaleza, no Ceará

Por
Correio do Povo

Agentes vão examinar material recolhido, como computadores, para apurar como agia a organização criminosa


publicidade

A Polícia Federal desencadeou ao amanhecer desta sexta-feira a operação “Capture the flag” com o objetivo de combater organização criminosa hacker especializada na invasão de sistemas informatizados de órgãos públicos para fins de exposição indevida de dados privados de servidores e autoridades.

A ação ocorre no Rio Grande do Sul e no Ceará com cerca de 20 agentes que cumpriram três mandados judiciais de busca e apreensão. No RS, as ordens juidiciais foram executadas em Porto Alegre e Nova Bassano. Já no Ceará, o alvo está em Fortaleza. De acordo com a PF, o material recolhidos será analisado e periciado para que esclareçam as circunstâncias da invasão de sistemas públicos de informática.

De acordo com o inquérito policial, integrantes do grupo hacker investigado obtiveram e expuseram de forma ilícita dados pessoais de mais de 200 mil servidores e autoridades públicas, com o objetivo de intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos.

Os policiais federais apuraram ainda que a organização criminosa teria invadido sistemas de universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores municipais no Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Rio Grande do Sul, além de um governo estadual e diversos outros órgãos públicos. Somente no RS foram mais de 90 instituições invadidas pelo grupo.


Para a Polícia Federal existem indícios ainda da prática de outros crimes cibernéticos por parte da organização criminosa, como compras fraudulentas pela internet e fraudes bancárias. Estão sendo investigados os crimes de invasão de dispositivo informático, corrupção de menores, estelionato e organização criminosa.