PF desencadeia operação contra doleiros que agiam com grupos criminosos do RS

PF desencadeia operação contra doleiros que agiam com grupos criminosos do RS

Nove ordens judiciais foram cumpridas em Porto Alegre e Estância Velha

Correio do Povo

Na Capital,várias viaturas da PF foram vistas estacionadas na área central

publicidade

A Polícia Federal deflagrou no início da manhã desta quinta-feira a operação Formigueiro com o objetivo de apurar crimes contra o sistema financeiro nacional com envolvimento de doleiros que atuam em apoio a grupos criminosos no Rio Grande do Sul. Cerca de 40 agentes cumpriram nove mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, com sete locais, e Estância Velha, com dois endereços. A investigação é da Delegacia de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro da PF.

Em Porto Alegre, várias viaturas da Polícia Federal permaneceram estacionadas na avenida Borges de Medeiros, entre a avenida Salgado Filho e rua dos Andradas, perto da Esquina Democrática, no Centro. A ação teve apoio da Receita Federal. Houve a apreensão de dinheiro (de várias moedas, totalizando R$ 1.066.698,91), documentos, celulares e arquivos digitais.

As ordens judiciais foram executadas em escritórios e residências dos investigados que estariam atuando informalmente na condição de negociadores de câmbio, o chamado "mercado negro" ou "dólar paralelo". Um dos inquéritos teve origem a partir da identificação de um doleiro, alvo da operação, que estaria agindo junto com contrabandistas de cigarros, já investigados em outra operação da Polícia Federal.

O mercado ilegal de câmbio, além do prejuízo ao sistema financeiro nacional, a partir da evasão de manutenção de divisas não declaradas no exterior, e à ordem tributária, através da sonegação, muitas vezes está ligado à lavagem de dinheiro, descaminho e contrabando. Até o momento, são apurados os crimes de atuação irregular no mercado de câmbio e evasão de divisas. A partir da coleta e da análise do material apreendido, a Polícia Federal poderá identificar outros crimes praticados pelos investigados. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895