PMs denunciados por tortura em Jaguarão irão responder processo na Justiça comum
capa

PMs denunciados por tortura em Jaguarão irão responder processo na Justiça comum

Brigadianos chegaram a ser presos, porém hoje respondem pelo crime em liberdade

Por
Rádio Guaíba

publicidade

A Corregedoria do Comando Regional de Policia Ostensiva Sul (CRPO Sul) entendeu que seis brigadianos denunciados por tortura em Jaguarão devem ser processados somente pela Justiça comum. Assim, os PMs estão isentos de responder, também, pelo crime na esfera militar.

Os seis policiais militares foram para o banco dos réus após terem torturado cinco individuos em setembro do ano passado em um sítio denominado como “chácara da porrada”. No local, os PMs agrediram o grupo por meio de pontapés e uso de relhos e sacos plásticos para confissões de crime mediante tortura. Os brigadianos chegaram a ser presos, porém hoje respondem pelo crime em liberdade atuando somente em setores administrativos da Brigada Militar.

Mesmo que os réus tenham sido isentos de responder processo na esfera militar, o comandante do CRPO Sul, coronel Carlos Alberto Brusch Terres, ressaltou que os PMs podem ser expulsos da corporação. “Se forem condenados, eles serão remetidos, em princípio, ao Conselho de Disciplina, que vai apurar se eles devem permanecer ou não na Brigada Militar”, adverte.

Os PMs conseguiram o direito de responder o crime em liberdade após obterem habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça, na metade de dezembro.