Polícia Civil confirma latrocínio na morte do soldado Cristian da Rosa Oliveira, do 26º BPM

Polícia Civil confirma latrocínio na morte do soldado Cristian da Rosa Oliveira, do 26º BPM

Agentes da 2 DP de Gravataí prenderam dois criminosos envolvidos no assalto ocorrido na noite de quarta-feira

Correio do Povo

Volkswagen Gol, de cor branca, usado no crime, foi apreendido

publicidade

A Polícia Civil anunciou na manhã desta sexta-feira a prisão de dois envolvidos no assassinato do soldado Cristian da Rosa Oliveira, 36 anos, do 26º BPM, ocorrido na última quarta-feira na rua Água Turquesa, no bairro Morada do Vale II, em Gravataí. Em entrevista coletiva à imprensa no Palácio da Polícia, em Porto Alegre, o titular da 2ª DP de Gravataí, delegado Guilherme Calderipe, confirmou a hipótese de latrocínio, ou seja, roubo com morte da vítima. “Eles são irmãos. Um deles, de 19 anos, é envolvido diretamente no assalto e o outro, de 31 anos, auxiliou em esconder o carro e ocultar a arma usada pelos assaltantes e a do brigadiano”, afirmou.

A dupla foi detida na noite de quinta-feira passada nos bairros Xará e Barnabé. Houve a apreensão de um revólver calibre 32 usado no roubo e a recuperação da pistola calibre 40 levada da vítima. O Volkswagen Gol, de cor branca, empregado no crime, foi recolhido pelos policiais civis e será encaminhado ao Instituto-Geral de Perícias. Imagens de uma câmera de monitoramento mostram o veículo em fuga logo após o latrocínio.

O roubo teve a participação de três indivíduos. Conforme o delegado Guilherme Calderipe, o preso, de 19 anos, atuou como motorista do Gol. Já os outros dois cúmplices, um também de 19 anos e o outro de 17 anos, estão foragidos. O menor de idade foi quem efetuou em tese os disparos. “Um deles está ferido, mas não sabemos se foi atingido pelo policial ou por fogo amigo”, explicou. “O trio foi roubar um carro e acabaram escolhendo como alvo o carro do policial militar”, resumiu. “Dois dos três envolvidos no assalto já tinham antecedentes por roubo”, constatou.

De folga, o policial militar foi morto a tiros na noite de terça-feira. Três criminosos abordaram o soldado que estava em um Chevrolet Onix. Em seguida, os bandidos fugiram sem levar o veículo da vítima, mas ficaram com a pistola do brigadiano. O trio ainda incendiou outro carro como despiste.

SEPULTAMENTO

O corpo do policial militar foi sepultado na manhã desta sexta-feira no Cemitério Memorial da Colina, na avenida Frederico Augusto Ritter, em Cachoeirinha. Houve cortejo até o local e prestadas homenagens ao brigadiano, reunindo familiares, amigos e colegas de farda.

Foto: Rayan Chinellato / Record TV RS / Especial


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895