Polícia Civil deflagra segunda fase da operação Iscariotis em Viamão

Polícia Civil deflagra segunda fase da operação Iscariotis em Viamão

Agentes da 2ª DP prenderam autor do estupro da filha de empresário que teve dedo mínimo amputado pelos criminosos

Correio do Povo

`xxxxxxxxxxxxx

publicidade

A segunda fase da operação Iscariotis foi deflagrada entre a madrugada e manhã desta segunda-feira pela Polícia Civil. Houve a prisão preventiva do autor do estupro de uma menina, de 13 anos de idade, e acusado ainda de coautoria dos ilícitos de extorsão, roubo majorado, tortura e associação criminosa.  

A ação foi desencadeada pela 2ªDP de Viamão, sob comando do delegado Júlio Fernandes Neto. Houve o cumprimento do mandado de prisão preventiva contra o estuprador. Durante interrogatório, assistido por um defensor, ele confessou a autoria de todas as infrações penais investigadas, fornecendo detalhes do planejamento e da execução dos delitos.

O preso indicou inclusive quem seria o mandante, o qual comandou toda a ação criminosa do interior de sua cela na Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central). Ele revelou ainda que a motivação do crime seria o pagamento de uma dívida decorrente do tráfico de drogas.

Segundo o delegado Júlio Fernandes Neto, o autor intelectual é sobrinho do empresário que sofreu a tortura e extorsão e, portanto, primo da vítima de estupro. Este sobrinho teria planejado toda a execução do crime, contratando o indivíduo preso nesta segunda-feira e um cúmplice, falecido em confronto com policial militar durante uma tentativa de roubo a estabelecimento comercial.

No dia 6 deste mês, a primeira fase da operação Iscariotis resultou em quatro presos preventivamente, incluindo o detento na Cadeia Pública de Porto Alegre e também um apenado na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc). Houve na ocasião o cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão.

O crime aconteceu em junho deste ano. A família teve a residência invadida em uma manhã por dois criminosos armados e encapuzados no bairro Jardim Castelo, em Viamão. Após subjugarem os moradores, os suspeitos agrediram e torturaram um empresário, que teve amputado o dedo mínimo. Ele teve de realizar a transferência de cerca de R$ 30 mil, via PIX, para a conta de uma integrante do grupo criminoso, em nome da namorada do colega de cela do sobrinho da vítima.

Em seguida, um dos bandidos estuprou a filha adolescente do empresário e roubaram objetos de valor da residência e um automóvel da família. De dentro da Pasc, o detento comandou tudo por meio de vídeo-chamada de telefone celular, evitando que as vítimas reconhecessem a voz do sobrinho.

Os agentes da 2ª DP de Viamão apuraram que o dedo parcialmente amputado do empresário foi utilizado depois para intimidar os moradores da localidade da Martinica, em Viamão. O autor do crime teria desfilado com o dedo da vítima em sua boca, fazendo piada relativamente aos crimes cometidos, como forma de demonstrar o poder da facção criminosa de que fazia parte.  

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895