Polícia Civil descobre cova com o corpo de Paula Schaiane Perin Portes em Soledade

Polícia Civil descobre cova com o corpo de Paula Schaiane Perin Portes em Soledade

Quatro criminosos são investigados pelo crime, sendo que três estão presos e um permanece foragido

Correio do Povo

Cadáver estava enterrado em uma mata fechada, de difícil acesso, na localidade do Rincão do Bugre

publicidade

Depois de quase 70 dias chegaram ao fim as buscas da Polícia Civil pelo corpo da jovem Paula Schaiane Perin Portes, 18 anos, desaparecida na noite do dia 10 de junho passado em Soledade. No final da noite deste domingo, o cadáver dela foi localizado enterrado em uma área de mata fechada, de difícil acesso, na localidade do Rincão do Bugre, na zona rural do município.

Um monte de pedra e terra precisou ser removido para retirar o corpo, que estava de bruços em uma cova profunda. O Instituto-Geral de Perícias foi acionado. Agora, a equipe da delegada regional Fabiane de Vargas Bitencourt ampliará os esforços para localizar o principal participante do crime, um indivíduo de 22 anos, que permanece foragido. Outros três envolvidos estão presos, sendo que dois deles haviam sido novamente detidos neste mês.

Em entrevista coletiva à imprensa na DP de Soledade na madrugada desta segunda-feira, a delegada Fabiane de Vargas Bitencourt explicou que a necropsia realizada pelo IGP para apurar a causa da morte incluirá exames toxicológicos, alcoolemia e até de abuso sexual, considerando-os importantes para o inquérito.

“O corpo não estava ainda em avançado estado de decomposição”, observou. Ela acrescentou que a identificação no local foi possível através de uma tatuagem e das roupas da vítima, além dos aspectos físicos.

A delegada Fabiane de Vargas Bitencourt revelou que a descoberta de onde ficava a cova surgiu na noite de domingo, mas não detalhou como a informação foi obtida. “O local tem certa proximidade de onde vínhamos fazendo diversas diligências”, disse. Ela lembrou que o corpo foi descartado nesta mata após ter sido trocado de lugar pelos envolvidos no crime. “Já vínhamos trabalhando nesta hipótese”, confirmou.

O inquérito deve ser encerrado nas próximas semanas, após o prosseguimento do trabalho investigativo e análise das provas coletadas. “Seguimos ainda nas buscas pelo foragido. Com a descoberta do corpo vamos reforçar a busca ao foragido. Gostaríamos de finalizar o inquérito com a prisão dele. Tenho muita convicção de que vamos prender ele”, declarou. “O inquérito que está muito bem instruído e com forte conjunto comprobatório”, garantiu.

A delegada Fabiane de Vargas Bitencourt espera “poder dar uma resposta por completo de como se deu o crime e como tudo aconteceu naquela noite”. Na opinião dela, trata-se de “um crime brutal e com crueldade”. Ela enfatizou a dedicação da equipe na elucidação do crime. “Trabalhamos incansavelmente dia e noite buscando pelo corpo. Não desistimos em nenhum momento e checamos todas as possibilidades”, ressaltou.

Todos os envolvidos serão indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, mas existe a possibilidade de responderem também por organização criminosa. Além dos quatro investigados, a delegada Fabiane de Vargas Bitencourt não descartou o envolvimento de outras pessoas.

“Não conseguimos ainda definir com precisão a motivação do crime, mas ele foi pautado por algo que a Paula sabia sobre os investigados. Várias são as teorias sobre o que ela sabia. O que poderia ser tão importante que pudesse ensejar sua morte? Até o momento, não temos ainda nada definido e comprovado nos autos”.

Os rumores na cidade apontam que os envolvidos no crime estão envolvidos com o tráfico de drogas e até a comercialização de cigarros roubados. “Esperamos que a justiça seja feita e que esses indivíduos permaneçam encarcerados e sejam punidos por esse crime bárbaro”, concluiu.

Na manhã desta segunda-feira, a família da jovem foi até a delegada e agradeceu o empenho dos policiais civis, exigindo também punição aos criminosos. "A única coisa que eu quero é que seja feita justiça e que eles sejam punidos. Paguem pelo crime que fizeram com uma inocente. É muita covardia", sintetizou a mãe Marizete Perin, 49 anos, que não segurou o choro diante da imprensa. "Ela era minha amiga e companheira. Eu vivia por ela. Ela sempre foi amada por todos", desabafou.

Recentemente, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros Militar realizaram duas buscas, com cão farejador, em um açude na comunidade da Margem São Bento, na zona rural do município. Houve o recolhimento na ocasião da bolsa da jovem, contendo a carteira de identidade da vítima, um cartão bancário em nome da mãe dela e um carregador de celular, entre outros itens, além de duas pedras grandes dentro, que serviram como peso para que o objeto ficasse submersa na água.

Na noite de 10 de junho, Paula Schaiane Perin Portes estava em um apartamento com amigas e recebeu uma mensagem pelo WhatsApp para se encontrar com o principal suspeito que permanece foragido. Nas investigações, os policiais civis obtiveram imagens de câmeras de monitoramento que mostram a jovem chegando no local do encontro e sendo carregada inconsciente para dentro de um veículo pelos investigados, já no início da madrugada do dia 11.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895