Polícia Civil faz ação contra envolvidos em extorsão, tortura, agressão, roubo e estupro em Viamão

Polícia Civil faz ação contra envolvidos em extorsão, tortura, agressão, roubo e estupro em Viamão

Criminosos roubaram residência das vítima, amputando dedo de empresário e violentando filha dele

Correio do Povo

Quatro prisões foram efetuadas

publicidade

A Polícia Civil realizou na madrugada de terça-feira a operação Iscariotis com a finalidade de prender os envolvidos em crimes bárbaros orquestrados por um líder de facção criminosa que está recolhido ao sistema prisional. Estão sendo investigados os crimes de extorsão, tortura, roubo majorado, estupro de vulnerável e associação criminosa.

Os agentes sob comando do delegado Júlio Fernandes Neto, titular da 2ª DP de Viamão, cumpriram cinco mandados de prisão preventiva e 11 mandados de busca e apreensão. Duas ordens judiciais foram executadas na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central). Quatro bandidos foram detidos na ação.

As investigações duraram 45 dias. Os agentes apuraram que a residência de uma família foi invadida no dia 17 de maio deste ano, no bairro Jardim Castelo, em Viamão. Após subjugarem as vítimas, um casal e filha, uma dupla de criminosos armados, mediante tortura, amputou parcialmente um dedo mínimo de um empresário. Ele teve de realizar a transferência de R$ 3,7 mil via PIX para a conta de uma integrante do grupo criminoso. O pedido inicial dos bandidos era de R$ 30 mil.

Em seguida, um dos bandidos estuprou a filha adolescente do empresário e, tomando-a como refém, roubaram objetos de valor na residência e o automóvel da família. As vítimas foram também agredidas fisicamente.

No trabalho investigativo, os agentes da 2ª DP de Viamão descobriram então que um líder de facção criminosa, cumprindo pena na Pasc, foi o mandante. O detento enviou inclusive as orientações em tempo real aos cúmplices por meio de vídeo chamada de telefone celular. Segundo o delegado Júlio Fernandes Neto, um familiar do empresário é suspeito de repassar informações privilegiadas das vítimas aos criminosos. As diligências terão prosseguimento, sobretudo em relação às buscas ao foragido.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895