Polícia Civil investiga caso do pai que baleou e matou o filho pequeno em São Leopoldo

Polícia Civil investiga caso do pai que baleou e matou o filho pequeno em São Leopoldo

Crime ocorreu durante discussão do casal dentro de casa, no bairro São Miguel, na noite dessa segunda-feira

Correio do Povo

Instituto-Geral de Perícias compareceu no local

publicidade

A Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) de São Leopoldo investiga a morte de um menino de quatro anos, baleado pelo próprio pai, no final da tarde dessa segunda-feira no bairro São Miguel. O trabalho investigativo é conduzido pelo delegado André Serrão.

O pai da criança, de 44 anos, com antecedentes por roubos, foi preso. Ele alegou que quis assustar a companheira durante uma briga dentro da residência, efetuando um tiro de revólver calibre 38, que acabou atingindo o pescoço do filho. Depois, ele se desfez da arma.

Segundo o delegado André Serrão, o revólver estava em situação irregular. “Ele não tinha porte”, frisou na manhã desta terça-feira à reportagem do Correio do Povo. O titular da DPHPP de São Leopoldo adiantou que o inquérito deve indiciar o indivíduo por homicídio doloso e possivelmente ameaça. “Ele assumiu o risco de matar, é dolo eventual”, observou.

Socorrida pelo próprio pai, a criança não resistiu aos graves ferimentos e morreu ao chegar no Hospital Centenário. Ele foi detido no local pelos policiais militares do 25º BPM, sendo encaminhado à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de São Leopoldo, onde foi efetuado o flagrante. “Ele estava sob efeito do crack”, constatou o delegado André Serrão. A mãe, de 40 anos, não teve participação no crime.

“Não conseguimos levantar o motivo da discussão, porque a esposa estava sob forte abalo emocional e não conseguiu dar o relato completo na DPPA”, destacou.

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) compareceu na casa onde ocorreu o crime. “Na frente tinha mais de dez estojos de calibre 38. Ele desmuniciou e municiou novamente o revólver. Têm algumas incongruências dentro do local do crime que ainda não fecharam. Ele se desfez da arma, tem estes estojos…”, revelou, acreditando que o suspeito tinha três armas, incluindo o revólver. "Uma pistola calibre nove milímetros não foi encontrada e a escopeta calibre 12 foi encontrada municiada", lembrou. O delegado André Serrão descartou a hipótese de tiro acidental.  


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895