Polícia Civil investiga golpe que deixou milionário da Mega-Sena sem nada em Viamão

Polícia Civil investiga golpe que deixou milionário da Mega-Sena sem nada em Viamão

Inquérito aponta que idoso ganhou R$ 10 milhões em 2018 e perdeu tudo ao ajudar amigo na compra de funerária

Correio do Povo

Documentos, celulares, armas e munições foram apreendidas

publicidade

A 1ª DP de Viamão vai prosseguir com as investigações sobre o golpe sofrido por um idoso, de 70 anos, que ganhou R$ 10 milhões no sorteio da Mega-Sena em abril de 2018 e agora não tem mais nada. “Podem ser que surjam novos fatos e envolvidos”, adiantou a delegada Marcela Brito. “O inquérito está recém começando…”, frisou.

O trabalho investigativo chegou a quatro suspeitos até o momento. O principal deles é um indivíduo que se dizia amigo da vítima, e que afirmou querer ajudá-lo.  “Compraram uma empresa funerária juntos, mas o contrato nunca foi levado para o registro. O suspeito fez um novo contrato, com o nome dele e de um outro, e registrou na junta comercial”, contou a delegada Marcela Brito. A quantia milionária do idoso foi então sendo gasta. “O suspeito pegou até o cartão de crédito da vítima e fazia compras”, acrescentou.

“A vítima não tem instrução financeira, não tem conhecimentos sobre administração de empresa, investimentos e finanças...Acredito que seja pela ingenuidade e falta de conhecimento que tudo isso aconteceu...Eles se aproveitaram desta ingenuidade”, observou. “A vítima foi perdendo dinheiro ao longo dos anos e hoje não tem mais nada”, constatou.

“Os suspeitos teriam praticado crime de apropriação indébita de bens de idoso, falsificação de documento público, supressão de documento, lavagem de capitais e estelionato contra administração pública…”, adiantou. A atual namorada do principal suspeito e a ex-mulher dele também estão sendo investigados, bem como um contador.

Na manhã do último dia 7, os agentes da 1ª DP de Viamão cumpriram cinco mandados de busca e apreensão na operação Loteria. Houve quebras judiciais do sigilo telefônico, fiscal e bancário dos investigados.

Na ação foi preso em flagrante delito um indivíduo por porte ilegal de arma de fogo. Ele já tinha passagens por delitos de ameaça, porte ilegal de arma de fogo, injúria e maus-tratos. Os policiais civis recolheram duas armas longas, um revólver, munições, telefones celulares e documentos, entre outros objetos, na operação. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895