Polícia Civil irá investigar caso de homem nu que teria depredado carros e prédios em Porto Alegre

Polícia Civil irá investigar caso de homem nu que teria depredado carros e prédios em Porto Alegre

Delegado Paulo César Jardim destacou que caso não é inédito e que homem deve ser "inimputável"

Por
Jessica Hübler

Fato ocorreu na região central de Porto Alegre


publicidade

Um homem nu teria depredado carros e portarias de prédios no Centro Histórico de Porto Alegre. Os fatos ocorreram na madrugada de sexta-feira para sábado e o homem foi apreendido pela Brigada Militar. De acordo com o delegado Paulo César Jardim, a Polícia Civil deve investigar o caso. A ocorrência foi registrada através de boletim online no site da Polícia Civil.

"Este não é um fato incomum no Centro, não é uma excepcionalidade, volta e meia acontece. Normalmente são pessoas com desequilibro mental, são pessoas doentes, inimputáveis. Para se ter uma ideia, volta e meia eles colocam bilhetes na viatura, amassam a viatura com pedras ou batem no capô", afirmou o delegado. Segundo ele, os casos são observados pela Polícia através de filmagens e é possível verificar que "são pessoas desequilibradas".

As depredações homem nu foram compartilhadas também por moradores do bairro, através de um grupo em uma rede social. O número de carros e prédios atacados ainda não foi contabilizado.

"Mas o fundamental é: isso não é inédito, não vou dizer que é comum, mas acontece seguido. Este homem vai ser identificado, vamos examinar a ficha e vai aparecer, seguramente, inimputável. É uma pessoa que não pode ser imputada a ela um crime, por deficiência mental. Provavelmente teremos que tentar localizar os familiares, ver se conseguem interná-lo, se é que não fugiu de alguma clínica", reiterou o delegado.


"Me parece que não estamos lidando com bandido, estamos lidando com uma doença, é um caso clínico. A corrida é no sentido de, já que ele foi identificado, vamos contatar os parentes para tentar ver qual a situação dele", enfatizou. A Polícia Civil declarou que está apurando as circunstâncias das depredações.