Polícia Civil não descarta novas medidas para coibir violência em Porto Alegre

Polícia Civil não descarta novas medidas para coibir violência em Porto Alegre

Duas facções criminosas, responsáveis por homicídios e confrontos, permanecem sendo monitoradas

Correio do Povo

Na sexta-feira, dois líderes de ambos os grupos rivais foram transferidos de presídios

publicidade

A Polícia Civil permanece monitorando a situação e não descarta a adoção de medidas dentro do sistema prisional caso ocorram novos conflitos entre as duas facções criminosas que promoveram uma onda de violência, como homicídios e confrontos, nas últimas semanas em Porto Alegre. A informação é do diretor da Divisão de Homicídios do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, delegado Eibert Moreira Neto, na manhã desta segunda-feira à reportagem do Correio do Povo.

Na sexta-feira passada, dois detentos foram transferidos entre as casas prisionais pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). Após o recebimento dos relatórios da inteligência da Polícia Civil, a Susepe negociou com o Poder Judiciário as autorizações para a remoção e o isolamento telefônico dos apenados.

O Grupo de Ações Especiais (GAES) da Susepe foi mobilizado na operação. “Na semana passada executamos um plano que estava sendo executado nos bastidores: a transferência de duas lideranças, uma de cada facção envolvida na disputa”, recordou.

“A princípio, os resultados aparentemente são positivos, pois arrefecemos aquela disputa que estava bem acirrada”, frisou, enfatizando o monitoramento de ambos os grupos criminosos. “Caso qualquer sinalização de que a disputa não vai parar, nós vamos promover outras medidas que também estão em planejamento, em especial que diz respeito ao sistema penitenciário”, destacou o delegado Eibert Moreira Neto. “Nós vamos trabalhar com medidas bem firmes dentro do sistema penitenciário, com aval das secretarias envolvidas”, acrescentou.

“Tivemos alguns homicídios no final de semana que a princípio não têm qualquer relação com esta disputa...As equipes estão trabalhando com as investigações destes casos e acreditamos que em breve teremos um retorno sobre a autoria destes fatos”, esclareceu.

Um dos casos foi o ocorrido na Cohab Cavalhada, no bairro Cavalhada, na sexta-feira. “Ali foi especificamente uma tentativa de tomada de ponto...tem relação com o tráfico de drogas, mas não relacionada com a disputa que estamos monitorando”, explicou o delegado Eibert Moreira Neto.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895