Polícia Civil prende fiscal que tentou impedir gravação das agressões em João Alberto

Polícia Civil prende fiscal que tentou impedir gravação das agressões em João Alberto

Adriana Dutra deve responder pelo mesmo crime dos agressores pratica do homicídio doloso triplamente qualificado

Jessica Hübler

Na quinta-feira, os dois agressores já haviam sido presos em flagrante

publicidade

A funcionária do Carrefour, Adriana Dutra, que tentou impedir a gravação das agressões em João Alberto, foi presa nesta terça-feira pela Polícia Civil. Conforme a delegada responsável pela investigação do homicídio, Roberta Bertoldo, a fiscal deve responder pelo mesmo crime dos agressores pratica do homicídio doloso triplamente qualificado. "A Adriana tinha sim o poder, naquele momento, de poder cessar as agressões a partir do fato de ser ali a superior imediata daqueles indivíduos que exerciam a segurança", disse durante coletiva de imprensa realizada ontem.

Conforme a delegada Roberta, todos os esforços da Polícia Civil estão centrados na participação das pessoas que aparecem nos vídeos que circularam as redes sociais nos últimos dias. "Estamos apurando com o maior cuidado qual foi a conduta ativa ou omissiva de cada um dos individuos que estavam presentes até o desfecho fatal, ou seja, até a morte do João", frisou.

Veja Também

Até o momento, três pessoas foram presas por envolvimento no homicídio de João Alberto, ocorrido na quinta-feira, 19 de novembro, no estacionamento do Carrefour na zona Norte de Porto Alegre. A fiscal presa nesta terça, Adriana Dutra, agora está à disposição da investigação policial e também do Poder Judiciário para que possa esclarecer as circunstâncias sobre o que aconteceu naquele dia.

A mulher está presa temporariamente por 30 dias. "Ela assistia a toda aquela ação sem ter intervido e mais afastando e ameaçando pessoas que estavam no entorno e que tentava dissuadir daquelas agressões e impedir a imagem daquela ação", destacou a delegada. Além disso, a delegada reiterou que as investigações continuam. "Bem como a valiação da conduta de cada um dos funcionários vinculados ao empreendimento, que aparecem nas imagens", assinalou.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895