Polícia Civil prende padrasto do menino de três anos que morreu em São José do Ouro

Polícia Civil prende padrasto do menino de três anos que morreu em São José do Ouro

Homem tornou-se o principal suspeito após laudo do Instituto-Geral de Perícias confirmar lesões pelo corpo da criança

Correio do Povo

Na delegacia, o jovem detido temporariamente não quis se falar diante dos agentes

publicidade

A Polícia Civil cumpriu na manhã desta sexta-feira um mandado de prisão temporária contra o padrasto do menino de três anos de idade que morreu em São José do Ouro. Ele passou a ser o principal suspeito na morte da criança, ocorrida na noite de domingo passado, mesmo alegando que o enteado teve uma queda no banheiro durante um banho. As informações são do delegado José Marcos Falcão à reportagem do Correio do Povo. “O depoente era o único presente no momento dos fatos, sendo considerado o principal elemento para que a Polícia chegasse à verdadeira causa da morte”, explicou.

Conforme o delegado José Marcos Falcão, o jovem, de 21 anos, foi levado para a delegacia e ficou em silêncio em vários momentos, por orientação do advogado, fazendo uso de seu direito constitucional previsto para esses casos. “O acusado será recolhido ao Presídio de Passo Fundo onde ficará à disposição da Justiça”, observou o titular substituto da DP de São José do Ouro.

O padrasto tornou-se o principal suspeito do crime com a chegada dos laudos do Instituto-Geral de Perícias. “Na tarde de quinta-feira, um laudo pericial formulado pelo IGP apontou que a criança tinha várias lesões internas pelo corpo (cabeça, rosto, peito, tórax, abdômen, braços e costas)”, revelou. “Assim, foi possível constatar que a causa mortis era completamente incompatível com os relatos colhidos até o momento, em especial do principal suspeito, segundo o qual a morte da criança teria decorrido de lesão na cabeça por causa de uma queda durante o banho”, acrescentou o delegado José Marcos Falcão.

O trabalho de elucidação do caso começou logo após a Polícia Civil tomar conhecimento do óbito da criança. A mãe, de 21 anos, não estava em casa e, ao retornar, notou que o filho estava passando mal. Ela levou-o ao Hospital São José, onde o menino morreu durante o atendimento médico. Devido às lesões constatadas, o corpo foi encaminhado para Posto Médico-Legal de Passo Fundo. Entre o domingo e a segunda-feira, o padrasto fugiu possivelmente para "escapar do flagrante". Vários depoimentos foram tomados ainda na segunda-feira. Na terça, o padrasto, que residia com a criança e a mãe, se apresentou para prestar depoimento na Delegacia de São José do Ouro acompanhado de seu advogado”, recordou. “As investigações continuam para fins de completa elucidação dos fatos”, enfatizou o delegado José Marcos Falcão.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895