Polícia Civil prende seis envolvidos no assassinato de mãe e filha em Casca

Polícia Civil prende seis envolvidos no assassinato de mãe e filha em Casca

O crime teve três mandantes e quatro executores, sendo que um sétimo suspeito está foragido

Correio do Povo

Vítimas, que vinham sofrendo ameaças, foram emboscadas chegavam em casa em Linha Geral Velha

publicidade

A Polícia Civil efetuou na manhã desta terça-feira a prisão de seis suspeitos de envolvimento nas mortes de mãe e filha ocorridas em junho passado no interior do município de Casca. A operação, sob comando do delegado Venicios Ildo Demartini, ocorreu em Casca e Guaporé, além de Florianópolis, em Santa Catarina.

As investigações apontaram ainda um sétimo participante do crime que encontra-se foragido. Os agentes apuraram que a motivação dos assassinatos, que teve três mandantes e quatro executores, tem relação com questões de ordem familiar e financeira. Mãe e filha vinham recebendo ameaças.

Na noite de 14 de junho, Neusa Maria Rapkievicz, 56 anos, e a filha Ana Paula Rapkievicz, 32 anos, retornavam em um Ford Focus para a residência, situada na Linha Geral Velha, na zona rural de Casca. Elas sofreram então uma emboscada e foram alvejadas a tiros de revólver, vindos de quatro indivíduos que aguardavam as duas. As vítimas ainda tentaram fugir, mas acabaram executadas no local.

As investigações apontaram que o duplo homicídio teve três mandantes, todos moradores da cidade, que contrataram quatro executores, sendo dois desses também residentes no município. Horas antes do crime, o quarteto festejou com bebidas e drogas que foram compradas com o dinheiro que receberam antecipadamente pelo "serviço". O pagamento foi de pouco mais de R$ 20 mil.

Ao longo do trabalho investigativo, os policiais civis apreenderam uma espingarda de pressão adulterada e um revólver, sendo que essa última arma está sendo periciada com o objetivo de definir se foi usada no crime. O inquérito policial já foi remetido ao Poder Judiciário, que decretou as prisões preventivas dos suspeitos e após denúncia oferecida pelo Ministério Público. Entre os detidos estão o ex-genro de Neusa e o pai dele.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895