Polícia Civil realiza perícia em Kombi onde menina Ágatha foi baleada

Polícia Civil realiza perícia em Kombi onde menina Ágatha foi baleada

Motorista do veículo explicou motivo pelo qual lataria não apresentava marcas de bala

R7

PMs envolvidos no caso serão ouvidos e terão armas apreendidas

publicidade

A Polícia Civil realizou durante a manhã desta segunda-feira mais uma perícia na Kombi onde estava a menina Ágatha Félix, de 8 anos, morta por um disparo policial na última sexta-feira, na comunidade da Fazendinha, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro. O motorista do veículo participou da perícia, na Delegacia de Homicídios (DH-Capital), na Barra da Tijuca, para explicar o motivo pelo qual a Kombi não tinha marcas de bala na lataria, e sim no assoalho da mala e no banco traseiro.

De acordo com o proprietário, ele ajudava uma passageira a tirar objetos da Kombi quando o projétil atingiu o banco onde a menina estava sentada. Ágatha foi baleada nas costas e levada por familiares para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, zona norte da cidade, mas não resistiu ao ferimento.

Nesta segunda-feira, três policiais militares envolvidos na ação serão ouvidos na DH-Capital e suas armas serão entregues aos investigadores para comparação com o projétil retirado no hospital. Em nota, a Polícia Civil informou que ainda nesta semana será definida uma data para a reprodução simulada da morte.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895