Polícia Civil vai indiciar comerciante que matou a cadela Belinha em Sapucaia do Sul

Polícia Civil vai indiciar comerciante que matou a cadela Belinha em Sapucaia do Sul

Animal acompanhava o dono, um menino de 13 anos, e recebeu um tiro de espingarda de pressão

Correio do Povo

Criança chorou abraçada no animalzinho já morto

publicidade

O titular da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mário Souza, assegurou na manhã desta quarta-feira que o comerciante, de 42 anos, que matou a tiros a cadelinha Belinha em Sapucaia do Sul no Dia da Criança, será indiciado por maus tratos aos animais, com pena de dois a cinco anos de reclusão. “Ele foi preso em flagrante e foi autuado, ficando recolhido”, lembrou. “Ele está em liberdade agora por que recebeu alvará de soltura do Poder Judiciário, com restrições, e vai aguardar o processo”, acrescentou.

A cadela Belinha acompanhava o dono, um garoto de apenas 13 anos, que foi até o mercado de propriedade do comerciante, situado no loteamento Nascer do Sol, no bairro Boa Vista, em torno do meio-dia da última segunda-feira. O animalzinho permaneceu no lado externo e acabou sendo morto com um único tiro de espingarda de pressão disparado pelo dono do estabelecimento, que teria ficado irritado com a presença dela no local. Acionada depois, a Brigada Militar efetuou a prisão do comerciante.

Vídeos circularam nas redes sociais após o crime e mostraram o menino chorando agarrado a Belinha, já morta e ensaguentada, com quem convivia há cerca de oito anos. A criança chegou a levar a cadela até os pais em busca de socorro. O animal foi enterrado em uma praça na área e recebeu até uma cruz de madeira, com o nome, espetada no solo.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895