Polícia Federal deflagra operação contra produção e tráfico de drogas sintéticas em Santa Catarina

Polícia Federal deflagra operação contra produção e tráfico de drogas sintéticas em Santa Catarina

Organização criminosa abastecia também de ecstasy o Rio Grande do Sul e Paraná, entre outros

Correio do Povo

Três laboratórios foram fechados durante investigações

publicidade

A Polícia Federal deflagrou a operação Rota do Espantalho com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa envolvida com produção e tráfico de drogas sintéticas no Litoral Norte de Santa Catarina. A venda de ecstasy ocorria tanto em SC como também para o Rio Grande do Sul e ao Paraná, entre outros. A ação teve apoio da Receita Federal e da Polícia Militar.

Cerca de 80 agentes cumpriram na manhã desta quarta-feira 16 mandados de busca e outros seis mandados de prisão temporária em Joinville, Balneário Camboriú e Florianópolis, em SC, e em Curitiba e São José dos Pinhais, no PR. Cerca de R$ 170 mil em dinheiro foram recolhidos. As ordens judiciais foram expedidas pela 1ª Vara Criminal da Justiça Estadual em Joinville.

As investigações apontaram que os traficantes se passavam por empresários para a compra de produtos químicos utilizados na fabricação de drogas sintéticas, como tricloroetileno, ácido clorídrico, helional, isopropanol e outros. As substâncias eram adquiridas em duas lojas de produtos químicos de Joinville e em seguida eram levadas para laboratórios clandestinos, onde eram empregadas na fabricação de drogas sintéticas, como ecstasy e MDMA, em grandes quantidades.

O trabalho investigativo começou em junho do ano passado. No período, os policiais federais desmantelaram três laboratórios clandestinos de drogas sintéticas, sendo localizados em Camboriú e São Francisco do Sul, em SC, e São José dos Pinhais, no PR. Seis criminosos foram detidos nestas ações. Em apenas um dos laboratórios desativados foram encontradas substâncias químicas capazes de produzir 290 mil comprimidos de ecstasy.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895