Polícia Federal realiza nova fase de investigação sobre contrabando de cigarros paraguaios

Polícia Federal realiza nova fase de investigação sobre contrabando de cigarros paraguaios

Houve o cumprimento de 19 sequestros judiciais de automóveis e caminhões de uma organização criminosa

Correio do Povo

Segunda fase da operação ocorreu nas cidades catarinenses de Chapecó e de Cordilheira Alta

publicidade

A Polícia Federal de Santo Ângelo cumpriu na manhã desta terça-feira um total de 19 mandados judiciais de sequestro de automóveis e caminhões nas cidades catarinenses de Chapecó e de Cordilheira Alta. Trata-se da segunda fase da operação Carcinoma, que investiga o contrabando de cigarros paraguaios para o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Essa segunda etapa da operação Carcinoma teve como finalidade a descapitalização da organização criminosa de contrabando através do sequestro de bens que assegurem o ressarcimento aos prejuízos causados e impeça que o grupo volte a atuar no crime.

Ao longo do trabalho investigativo, os policiais federais apreenderam 12 milhões de maços de cigarros e 41 caminhões, além de efetuarem 44 prisões. O valor estimado da mercadoria ilícita recolhida é de aproximadamente R$ 60 milhões, sendo R$ 30 milhões em tributos sonegados.

A investigação apontou que os líderes da organização mantinham uma revendedora de caminhões de fachada e cooptavam motoristas para realizarem o transporte dos cigarros contrabandeados com a promessa de repassar o veículo após um determinado número de viagens, como uma espécie de premiação.

Na primeira fase da operação Carcinoma, deflagrada em 18 de novembro de 2021, os agentes executaram dez mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão em Tenente Portela e Três Passos, no Rio Grande do Sul, e também em Chapecó, São Miguel do Oeste e Cordilheira Alta, em Santa Catarina, e Guaíra, Cascavel, Umuarama e Floresta, no Paraná. 


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895