Polícia investiga assassinato de motorista de aplicativo em Viamão
capa

Polícia investiga assassinato de motorista de aplicativo em Viamão

Trabalho preliminar da Polícia Civil aponta que ele pode ter sido vítima de latrocínio ou homicídio

Por
Eduardo Amaral

publicidade

A Polícia Civil (PC) trabalha com duas hipóteses para o assassinato do motorista de aplicativo Jorge Amélio Ribeiro, de 40 anos. Ele foi morto na noite de quinta-feira na cidade de Viamão, na região Metropolitana. As primeiras investigações apontam que ele pode ter sido vítima de latrocínio ou homicídio.

Ribeiro é natural de Santa Catarina, mas já havia morado em Viamão na década de 1990. Ele estava trabalhando como motorista de aplicativo fora do estado, e voltou para a cidade há pouco tempo em busca de pagamentos melhores, como explica a delegada Marina Dillenburg. “Ele trabalhava na mesma função no Paraná, mas voltou porque achava que aqui receberia melhor”.

Em Viamão, Ribeiro morava sozinho no bairro Fiuza. Na noite de quinta-feira, ele saiu de casa para atender uma chamada no bairro Valença, e foi encontrado morto cerca de uma hora depois com um tiro na cabeça. De acordo com a PC, o assassino não levou dinheiro e nem os cartões da vítima, tendo roubado apenas o celular.

De acordo com a delegada Marina não havia câmeras de segurança no local do assassinato. “O estamos tentando é refazer o caminho ele percorreu até o bairro Valença”, explica.

Ela conta que a vítima não tinha antecedentes criminais, nem envolvimento com drogas ou criminosos, e por isso as duas linhas de investigação. “Ele pode, tanto ter sido vítima de um latrocínio, quanto de um homicídio.” Embora morasse sozinho, Ribeiro estava recebendo a visita do filho, um adolescente de 14 anos, que mora em Santa Catarina na noite do crime.