Polícia investiga como suspeito de latrocínio em Estância Velha saiu do País
capa

Polícia investiga como suspeito de latrocínio em Estância Velha saiu do País

Jovem de 20 anos foi detido no sábado na província de Missiones

Por
Correio do Povo

Preso na Argentina, homem apontado como autor de assalto retornou ao Rio Grande do Sul nesta terça

publicidade

O jovem de 20 anos suspeito de envolvimento no assassinato de dois empresários em Estância Velha, no início de abril, desembarcou no Rio Grande do Sul nesta terça-feira – ele havia sido preso no sábado, no município de San Vicente, na província de Missiones, na Argentina. De acordo com o titular da DP de Estância Velha, delegado Márcio Niederauer, o foragido foi detido em um carro com sua companheira e filho. “Juntamente estava seu tio, que mora lá. Ele entrou por via terrestre e a informação é de que os pais o levaram para a fronteira de carro. Lá, teve o auxílio desse parente para se refugiar no país vizinho", revelou.

"A polícia argentina recebeu uma denúncia por telefone de que um foragido da justiça brasileira estaria fazendo a travessia para o território deles. Ele teria saído de El Soberbio (na fronteira com o Rio Grande do Sul) e estava em deslocamento ao local onde foi preso", disse Niederauer. As autoridades montaram uma barreira e fizeram a abordagem do veículo, um Peugeot 306, encontrando o homem e seus parentes.

Como o suspeito estava sem documento, foram colhidas as digitais para confirmação da identidade. Os dados foram encaminhados eletronicamente para a Polícia Civil gaúcha, que acionou o Instituto Geral de Perícia (IGP) para confronto das informações. O jovem foi levado no sábado de manhã para Foz do Iguaçu e entregue via consulado para a Polícia Federal, que o manteve em carceragem até esta terça, quando foi transferido para São Leopoldo.

O delegado ainda não sabe onde o foragido esteve no período entre o crime e a prisão e disse que ainda "há alguns reconhecimentos pessoais a fazer e outras diligências". Niederauer também não descartou a participação de outras pessoas no crime. "Não posso adiantar detalhes, mas posso dizer que deveremos ter outros indiciados. Existe uma espécie de auxílio material. Não há uma participação efetiva na prática do crime, mas outras pessoas auxiliaram para que ele pudesse ter ocorrido", finalizou.

Conforme o titular da DP de Estância Velha, o preso deve prestar depoimento ainda hoje. O outro homem apontado como responsável pelo crime, um jovem de 19 anos, já deu seu testemunho, após se negar a falar. Ele refutou as acusações e se recusou a dar amostra de material genético e a responder a perguntas consideradas pela equipe de investigação como sensíveis para a elucidação do caso.

O caso

Pai e filho, Leomar Jacó Canova, 59 anos, e Luis Fernando Canova, 35 anos, foram baleados e mortos por uma dupla de assaltantes que atacou o estabelecimento comercial das vítimas, a Elaine Óptica e Relojoaria, situada na rua Portão, na área central de Estância Velha, no dia 10 des abril.  Armados com revólveres calibres 38, a dupla de assaltantes fugiu no dia seguinte ao crime após a repercussão do caso. 

Em 22 de abril, a Polícia identificou os assaltantes como dois amigos de 19 anos e 20 anos, e decretou as prisões preventivas. O mais novo morava na vila Brás, em São Leopoldo, possuindo antecedentes por tráfico de drogas. Ele foi preso dois dias depois, numa casa em Portão, propriedade de um traficante apontado como uma das lideranças do tráfico de drogas justamente no local. Já o jovem que desembarcou nesta quinta no Estado residia na vila Palmeira, no bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo, tendo envolvimento com roubo de veículos. Ele deveria estar cumprindo pena com tornozeleira eletrônica.