Polícia localiza pegadas durante buscas após desaparecimento de dentista no Centro do RS

Polícia localiza pegadas durante buscas após desaparecimento de dentista no Centro do RS

Segundo delegado Sandro Meinerz, um popular teria visto uma pessoa com as características de Barbara Machado na região próxima à BR 158

Correio do Povo

Varredura ocorre ao longo da rodovia e nos matagais do entorno

publicidade

O mistério do desaparecimento da dentista Barbara Machado Padilha, 32 anos, ocorrido no sábado passado em Tupanciretã, permanece. Na manhã desta quarta-feira, as novas buscas nas margens e matagais da BR 158, em Santa Maria, não tiveram êxito. A região da saída para Itaara, Júlio de Castilhos e Tupanciretã é o principal local das buscas pois foi nesta área que houve a captação pela última vez do sinal do telefone celular da dentista. O titular da 3ª Delegacia de Polícia Regional do Interior, delegado Sandro Meinerz, observou que várias pegadas foram localizadas, mas avaliou que é difícil dizer se pertencem à vítima, apesar de não ser impossível. Na mesma área, um popular teria avistado uma pessoa com as características da dentista.

A mobilização envolveu a Polícia Civil, 4º Batalhão de Bombeiros Militar e Polícia Rodoviária Federal, sendo empregados cães farejadores, no trecho da rodovia, na saída para Itaara, Júlio de Castilhos e Tupanciretã. Um dos cães é a cadela Juju, que já foi preparada para sentir o odor específico da vítima e é considerada especializada em localizar pessoas vivas ou mortas. Familiares se deslocaram para acompanhar o trabalho em Santa Maria.

A dentista foi vista pela última vez na noite de sábado no trevo do Castelinho, no entrocamento da ERS 509, BR 158 e BR 392, em Santa Maria. No local, ela permaneceu em torno de meia hora na loja de conveniência de um posto de combustível e saiu a pé com destino à avenida Osvaldo Cruz. Imagens de uma câmera de monitoramento externa do estabelecimento mostram que a vítima estava sozinha ao deixar o local, após comprar chocolate e água. O telefone celular não emite sinal. Ela havia contratado um motorista de aplicativo que trabalha com carro executivo para levá-la de Tupanciretã até Santa Maria.

O desaparecimento ocorreu no final da tarde de sábado passado após a dentista deixar o escritório de advocacia do esposo na área central de Tupanciretã. Ela não chegou na residência do casal. Em torno de duas horas depois, o marido foi para a casa e não a encontrou. A bolsa com documentos não foi levada junto. A porta estava aberta e a chave da mesma caída no solo.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895