Polícia prende três suspeitos de ataque a banco em Porto Xavier

Polícia prende três suspeitos de ataque a banco em Porto Xavier

Um dos homens foi capturado em Porto Lucena quando buscava comprar alimentos e medicamentos

Correio do Povo e Rádio Guaíba

publicidade

A Brigada Militar prendeu na noite deste sábado três suspeitos de participarem do ataque à agência do Banco do Brasil de Porto Xavier, no Noroeste do Rio Grande do Sul ocorrido na última quarta-feira. Um dos homens, 53 anos, foi capturado em Porto Lucena.

De acordo com a BM, o suspeito tentou comprar alimentos e medicamentos com uma nota de R$ 100 molhada.   comerciante achou estranho e chamou os policiais. Preso, o homem deu informações sobre a organização da ação criminosa e indicou onde se localizava o esconderijo da quadrilha, no interior de Porto Xavier, próximo ao rio Uruguai. No local, a Polícia Militar prendeu outros dois homens. Um deles é policial militar da reserva. Não houve confronto.

Relembre o caso

A quadrilha havia atacado o Banco do Brasil no início da tarde de quarta-feira na área central de Porto Xavier. Há a suspeita de que o grupo seja formado por quatro ou cinco assaltantes fortemente armados e disfarçados com toucas ninjas. Durante o ataque à agência bancária, eles mantiveram reféns como "escudo humano", usando o método chamado pela Polícia Civil como "Novo Cangaço". Houve perseguição policial e confronto na região de Campina das Missões após a fuga dos criminosos. Na quinta-feira,  a Brigada Militar intensificou o cerco à quadrilha após a morte de um policial militar durante confronto na madrugada. O soldado Fabiano Heck Lunkes, 34 anos, da BM de Cerro Largo, do Comando Regional de Polícia Ostensiva Missões, foi atingido por um tiro que atravessou o colete balístico durante o tiroteio ocorrido em torno das 3h45min.

Ferido gravemente no tórax, o policial militar foi socorrido mas não resistiu. Os criminosos, que pretendiam abandonar o matagal, retornaram para dentro da mata.

Cerco policial

As buscas prosseguem na região. Pelo quarto dia consecutivo, mais de 150 policiais militares estão em Campina das Missões para realizar buscas aos criminoso numa  área de 26 hectares.


Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895