Porto Alegre é a sétima capital mais violenta do País, aponta Atlas da Violência

Porto Alegre é a sétima capital mais violenta do País, aponta Atlas da Violência

Em 2016, índice de homicídios na Capital era maior que do Rio de Janeiro, hoje sob intervenção federal<br />

Correio do Povo

Em 2016, Força Nacional começou a atuar em Porto Alegre

publicidade

Porto Alegre é a sétima capital mais violenta do país, de acordo com o Atlas da Violência 2018 – Políticas Públicas e Retratos dos Municípios Brasileiros, do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), divulgado nesta sexta-feira.

Os dados de 2016 apontam que a taxa de homicídios e de mortes violentas por causa indeterminada (MVCI) na capital gaúcha foi de 58,1. Atrás apenas de Belém (77), Aracaju (76,5), Natal (70,6), Rio Branco, (63,4), Salvador (61,7) e São Luís (59,5). Neste período, Porto Alegre estava mais perigosa que o Rio de Janeiro, que na época ocupava o 20º lugar e hoje está sob intervenção militar.

Foi neste período que a Força Nacional começou a atuar na capital gaúcha. O estopim para a chegada das tropas foi a morte de Cristine Fonseca Fagundes, 44 anos, em frente ao colégio Dom Bosco, na zona Norte, em agosto de 2016. Ela foi assassinada em uma tentativa de latrocínio. A filha dela, de 17 anos, presenciou o ataque dos criminosos. Assim como Cristine, outras quatro pessoas morreram só naquele mês vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte) em Porto Alegre. 

O Atlas da Violência mostra ainda que metade dos homicídios registrados em 2016 ocorreram em apenas 123 cidades brasileiras. Dessas, sete estão no Rio Grande do Sul. Viamão lidera a lista gaúcha com taxa de 77,1, seguida por Alvorada (71,8), Porto Alegre (58,1), Canoas (47,9), Gravataí (42), Caxias do Sul (35,5) e Pelotas (26,8).

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895