Presa companheira do homem que tentou matar a ex-esposa em parada de ônibus em Porto Alegre

Presa companheira do homem que tentou matar a ex-esposa em parada de ônibus em Porto Alegre

Detida pela Polícia Civil, mulher sabia do plano, ajudou na execução do crime e atrapalhou investigação

Correio do Povo

Ordens judiciais foram cumpridas pela 1ª Deam em Balneário Pinhal

publicidade

 A Polícia Civil confirmou nesta terça-feira a prisão da atual companheira do homem que tentou matar a ex-esposa no dia 2 deste mês em uma parada de ônibus no bairro Teresópolis, em Porto Alegre. A vítima, de 37 anos, sobreviveu ao ataque apesar dos ferimentos causados pelas facadas recebidas. O indivíduo, de 39 anos, foi preso depois em Balneário Pinhal, no Litoral Norte. Houve a apreensão da faca usada no crime.

A prisão da atual companheira do autor da tentativa de feminicídio ocorreu na operação Tisífone, que foi desencadeada na última segunda-feira pela 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (1ª Deam), sob comando da delegada Jeiselaure Rocha de Souza. Na ocasião, os agentes cumpriram um mandado de prisão temporária e um mandado de busca e apreensão também em Balneário Pinhal. As ordens judiciais foram deferidas pela 4ª Vara do Júri de Porto Alegre, após parecer favorável do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

De acordo com a investigação, a mulher, de 39 anos, tinha total conhecimento das intenções criminosas do companheiro dele de matar a vítima. Ela aderiu inclusive à conduta, planejando detalhes da execução do crime e depois escondendo e eliminando as provas.

O acusado já havia confessado a prática do crime e admitiu que o objetivo era obter definitivamente a guarda dos filhos. Em seu depoimento, filmado em vídeo, ele admitiu que a atual companheira sabia de tudo. A própria mãe do suspeito declarou o mesmo.

Em depoimento prestado no hospital no dia 12 passado, a vítima relatou que, além da questão de não querer pagar pensão alimentícia e da guarda dos filhos, possuía um seguro de vida em seu nome, cujos beneficiários eram os filhos. O ex e a atual companheira dele tinham conhecimento desse fato e podem também ter premeditado por isso o crime.

Conforme a delegada Marina Dillenburg, titular adjunta da 1ª Deam, que ouviu a vítima no hospital e acompanhou as diligências na praia, o crime foi premeditado de forma bastante detalhada pelo casal, que além da questão da guarda dos filhos, tinha motivação financeira para executar a ex-companheira. Já a delegada Jeiselaure Rocha de Souza, destacou que o agressor esteve à espreita da vítima em pelo menos duas ocasiões anteriores.   


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895