Presas são transferidas após torturarem detenta por mais de 10 horas
capa

Presas são transferidas após torturarem detenta por mais de 10 horas

Gaes foi acionado para realização da intervenção na noite desse sábado. Agressões iniciaram na madrugada

Por
Correio do Povo

Gaes removeu as detentas apontadas pela vítima como responsáveis pelas agressões

publicidade

Seis presas foram transferidas, na noite desse sábado, após serem acusadas de tortura no Instituto Penal Feminino de Porto Alegre. As acusadas foram denunciadas por uma detenta, bastante machucada, que pediu ajuda às agentes penitenciárias que trabalhavam no local. Ela contou que foi chamada a uma outra ala da instituição no fim da madrugada, onde foi rendida, amarrada e torturada por mais de 10 horas.

A apenada contou que foi capturada pelo grupo por volta das 5 horas e, por volta das 16 horas, conseguiu pedir ajuda. Não há informações se ela foi agredida continuamente durante o período em que ficou com as suspeitas. A direção da casa prisional, assim que tomou conhecimento do fato, isolou a ferida e acionou o Grupo de Ações Especiais (Gaes) da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) para  que fizesse a  intervenção e também a remoção das responsáveis pelo crime.

As causas do conflito entre as mulheres não foram informadas pela instituição. O superintendente da instituição, César da Veiga, determinou que a corregedoria apure os fatos. Desavença ou envolvimento com organizações criminosas distintas não são descartadas. Sem nenhuma resistência, elas foram encaminhadas para a Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba.

Os nomes das envolvidas não foram informados pela Susepe.