capa

Preso dentista acusado da morte do gerente do Sicredi de Anta Gorda

Justiça aceitou o pedido de prisão após Ministério Público apontar novos elementos

Por
Correio do Povo

Acusado será levado para o Presídio Estadual de Encantado

publicidade

O dentista acusado pela morte do gerente do Sicredi de Anta Gorda, Jacir Potrich, 55 anos, foi preso nesta quinta-feira. Ele foi levado ao Fórum de Encantado, no Vale do Taquari e depois será encaminhado para o Presídio Estadual do município. A prisão é fruto de novo pedido protocolado pelo promotor de Justiça André Prediger na última segunda-feira com base no fato de que o réu vinha ameaçando e coagindo testemunhas do processo na cidade de Anta Gorda. 

Segundo o pedido de prisão preventiva, familiares da vítima foram perseguidos de carro e até mesmo a pé pelo réu. O homem é acusado de afirmar a outras pessoas da comunidade que todos deveriam ter medo dele. Dessa forma, o novo pedido é por coação no curso do processo e para garantir a instrução do processo. O dentista chegou a ser preso temporariamente em janeiro deste ano, mas foi solto após o julgamento de um habeas corpus pelo Tribunal de Justiça do Estado. 

Conforme a denúncia do MP, elaborada com base nas investigações da Polícia Civil, no dia do desaparecimento, no condomínio onde ambos moravam, o ex-vizinho da vítima modificou o ângulo de uma das câmeras de vigilância e desligou outra para evitar que o local do crime, um quiosque, não registrasse o momento do assassinato. Assim, imagens que formam o conteúdo probatório do processo mostram a vítima indo até o quiosque e sendo seguida. Um minuto depois, apenas o denunciado é visto saindo do local. Essas são as últimas imagens de Potrich.

Assim, o dentista foi denunciado por homicídio triplamente qualificado – motivo torpe (a desavença existente entre os dois há anos em virtude da troca de endereço do banco no qual a vítima era gerente), por asfixia e com recurso que dificultou a defesa da vítima – além de ocultação de cadáver. Além do homicídio, ele também deverá responder por ocultação de cadáver.


A reportagem tentou contato telefônico com o escritório de advocacia do acusado, mas até o momento da publicação desta reportagem não havia obtido retorno.

Relembre o caso

Jacir Potrich sumiu após retornar de uma pescaria e ter limpado os peixes em um quiosque de uso comum do condomínio residencial em que residia na cidade. O automóvel da vítima ficou estacionado na garagem. As câmeras de segurança do condomínio registraram o gerente chegando, mas não mostram a saída dele depois.