Preso mais um envolvido em rota de narcotráfico interestadual até o Rio Grande do Sul

Preso mais um envolvido em rota de narcotráfico interestadual até o Rio Grande do Sul

Segundo a Draco de Viamão, motorista do caminhão carregado com 1,8 tonelada de maconha, apreendida em março em Alvorada, foi preso no Paraná

Correio do Povo

Droga encontrada com seis traficantes foi avaliada em cerca de R$ 2 milhões

publicidade

Mais um envolvido em uma rota de narcotráfico interestadual até o Rio Grande do Sul foi capturado pela Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Viamão, coordenada pelo delegado Eduardo Limberger do Amaral. Trata-se do motorista responsável por trazer um carregamento de 1,8 tonelada de maconha, avaliada em torno de R$ 2 milhões, em um caminhão desde o Mato Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul. A operação de prisão do foragido, de 56 anos, ocorreu nessa semana no município paranaense de Sarandi.

Segundo o delegado Eduardo Limberger do Amaral, a investigação começou com a prisão em flagrante de seis traficantes pela equipe volante da 1ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (1ª DPRM), chefiada pelo delegado Juliano Ferreira, no momento em que descarregavam os fardos de maconha escondidos sob uma carga de grãos de soja na carroceria de um caminhão bitrem Volvo, com placas de Sarandi. O flagrante ocorreu no dia 13 de março deste ano em um depósito localizado na avenida Frederico Dihl, no bairro Aparecida, em Alvorada.

“Como subterfúgio, o motorista registrou ocorrência na cidade de Toledo, no Paraná, relatando o suposto roubo do seu caminhão e um falso sequestro, o que foi desmentido durante a apuração”, explicou o titular da Draco de Viamão. O suspeito havia conseguido fugir e ocultou-se em Sarandi, localizado na região Noroeste do Paraná. “Ao ser interrogado, o foragido admitiu participação no esquema de traficância”, observou o delegado Eduardo Limberger do Amaral.

No flagrante em março, cinco gaúchos e um paranaense foram detidos. Eles descarregavam o entorpecente do caminhão para o interior de um galpão. “A maconha é de alta qualidade e seria distribuída na Capital e na Região Metropolitana de Porto Alegre”, avaliou na ocasião o titular da 1ª DPRM, delegado Juliano Ferreira, acrescentando que droga seria proveniente da fronteira do Brasil com o Paraguai.  


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895