Profissionais de Segurança Pública terão vacinação antecipada no RS

Profissionais de Segurança Pública terão vacinação antecipada no RS

Ministério da Saúde irá enviar lote de vacinas contra a Covid-19 exclusivamente para esse público

Correio do Povo

Nota técnica foi publicada nesta quarta-feira

publicidade

Os profissionais de Segurança Pública do Rio Grande do Sul terão a vacinação contra o coronavírus antecipada no Estado. De acordo com o anúncio, ocorrido nesta quarta-feira, a categoria – que inclui agentes da força de segurança, salvamento e forças armadas – será imunizada com um lote exclusivo de vacinas que será enviado pelo Ministério da Saúde. Segundo o governo gaúcho, ainda não foi informada pela União a quantidade de doses e a data de remessa.

A priorização do grupo na vacinação está autorizada no Plano Nacional de Imunizações (PNI), por meio da nota técnica Nº 297/2021, publicada nesta quarta-feira. A partir da medida, a equipe técnica da Secretaria da Segurança Pública (SSP) irá aguardar as novas informações do governo federal para planejar a operacionalização da imunização dos profissionais das forças policiais.

De acordo com o vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, a preocupação em antecipar a vacinação dos agentes de segurança era manifestada pelo Piratini desde o ano passado, ainda antes do início da vacinação. De acordo com ele, a pasta enviou em dezembro do ano passado um ofício para o Ministro da Justiça e Segurança Pública externando preocupação com o plano divulgado e solicitando que os profissionais da segurança, que durante a pandemia atuam na linha de frente, fossem priorizados. Um outro apelo, assinado por todos os membros do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (Consesp), foi enviado já em 2021.

“É uma notícia extremamente positiva. Reflete o empenho que tivemos desde dezembro do ano passado, antes ainda da vacinação começar, em assegurar a imunização para os homens e mulheres da Segurança. Durante toda a pandemia eles mantiveram o trabalho na linha de frente de forma ininterrupta. É uma medida essencial, portanto, em primeiro lugar para proteger a vida desses profissionais, e também para assegurar a continuidade do trabalho de manutenção da ordem e combate à criminalidade”, afirmou Ranolfo.

Na nota técnica, o Ministério da Saúde anuncia que os agentes serão vacinados de forma escalonada e proporcional. Desta forma, a orientação de priorização exclusiva é dos seguintes profissionais:

• Trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes;
• Trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento pré-hospitalar;
• Trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a Covid-19;
• Trabalhadores envolvidos nas ações de vigilância das medidas de distanciamento social, com contato direto e constante com o público independente da categoria.

Caso ocorram excedentes de doses, a nota técnica orienta o direcionamento para aqueles com 60 anos ou mais, com comorbidades ou deficiência permanente, seguindo o ordenamento descrito no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

Os demais trabalhadores da segurança pública e forças armadas, que não se enquadrarem nas avidades descritas acima, deverão ser vacinados de acordo com o andamento da campanha nacional de vacinação contra a Covid-19, segundo o ordenamento descrito no PNO. A este caso, o Ministério da Saúde aponta os agentes de segurança que executam atividades de apoio logístico, transporte de insumos, vigilância de fronteiras, ações de combate aos crimes transcionais e ambientais e demais militares.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895