Quadrilha que roubava veículos é alvo de operação da Polícia Civil

Quadrilha que roubava veículos é alvo de operação da Polícia Civil

Grupo costumava agir sempre nas primeiras horas de cada dia

Correio do Povo

publicidade

A Polícia Civil desencadeou nesta terça-feira a operação Aurora com o objetivo de desmantelar uma quadrilha que roubava veículos das vítimas sempre no início das manhãs em Porto Alegre e Região Metropolitana. A organização criminosa tinha como líderes dois detentos, sendo que um deles, de 28 anos, está recolhido na Penitenciária Modulada de Osório, e o outro, de 29 anos, que cumpre pena em liberdade mediante uso da tornozeleira eletrônica. A ação foi deflagrada pela Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos (DRV), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), sob comando dos delegados Marco Guns e Rafael Liedtke.

Cerca de 70 agentes cumprem 16 ordens judiciais, entre mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva, na Capital, Cachoeirinha, Alvorada e Viamão, bem como na Penitenciária Modulada de Osório. Cinco criminosos já foram presos. Houve o recolhimento de dinheiro, telefones celulares, veículos, inclusive blindados, e armas, além de uma tornozeleira eletrônica. Os crimes investigados são de roubo de veículo, receptação qualificada, adulteração de sinais identificadores e porte ilegal de arma de fogo.

Segundo os delegados Marco Guns e Rafael Liedtke, as investigações começaram há mais de seis meses. A equipe da DRV descobriu que os integrantes da organização criminosa aproveitavam o início da manhã, quando a população está saindo para o trabalho, para praticarem os roubos de veículos. Os carros levados das vítimas tinham então os sinais identificadores adulterados e clonados, como placas, numeração de vidros, chassi e motor. Muitos acabavam sendo repassados para outras quadrilhas especializadas na prática de delitos patrimoniais, como roubos a estabelecimentos comerciais e de cargas, entre outros.

Os lucros obtidos eram divididos entre todos integrantes da organização criminosa, de acordo com a tarefa realizada no esquema. O primeiro detento que comandava as ações tem envolvimento com homicídio, tráfico e extorsão, roubo à residência e porte ilegal de arma de fogo. Já o segundo apenado tem porte ilegal de arma de uso restrito, receptação, roubo a pedestre, estabelecimento comercial e roubo de carga. O diretor do Deic, delegado Sander Cajal, destacou “a qualificação na investigação criminal”  sobre a atuação da quadrilha.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895