Rota do skunk é investigada pela Polícia Federal na região Sul do RS

Rota do skunk é investigada pela Polícia Federal na região Sul do RS

Traficantes gaúchos trazem a droga do Uruguai e enviam para clientes de todo o país por via postal

Correio do Povo

Houve apreensão de 25 remessas da droga durante as investigações

publicidade

A Polícia Federal anunciou a prisão de mais um traficante envolvido na rota do skunk, que consiste no esquema de remessa da droga por via postal para todo o país. A operação Travessia foi realizada na noite de quinta-feira com o cumprimento da ordem judicial no Chuí. O entorpecente seria proveniente do Uruguai. Um outro criminoso já havia sido preso no final de junho na mesma região. 

As investigações começaram em novembro do ano passado, quando sucessivos envios de entorpecentes foram interceptados pela Receita Federal durante a fiscalização das encomendas postais decorrentes da agência dos Correios do Chuí.

Em ação conjunta da Polícia Federal e Receita Federal, com auxílio dos Correios, uma associação criminosa que realizava o tráfico internacional de skunk e sementes de maconha foi identificada.

O trabalho investigativo apurou que alguns dos traficantes gaúchos residem na cidade uruguaia de Chuy, na fronteira com o Chuí, onde adquirem e cultivam as drogas. Através da fronteira seca, eles trazem o skunk para o RS. Clientes de diversas partes do país são assim atendidos.

Em torno de 25 remessas de skunk e sementes de maconha foram interceptadas para servirem como prova material no inquérito da Polícia Federal, que visa a reprimir o tráfico de entorpecentes na região e que tem apresentado significativo aumento.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895