SSP registra queda nos casos de homicídios e feminicídios em abril no Rio Grande do Sul

SSP registra queda nos casos de homicídios e feminicídios em abril no Rio Grande do Sul

Já os latrocínios tiveram alta no mês passado na comparação com mesmo período de 2021

Correio do Povo

Ações da Brigada Militar e da Polícia Civil ajudaram na redução dos casos na Capital

publicidade

A Secretaria da Segurança Pública do Estado divulgou os novos indicadores de criminalidade e destacou a queda de 11,6% nos homicídios ocorridos em abril no Rio Grande do Sul. O número de vítimas ficou em 129 no mês passado contra 114 em igual período em 2021. "São vidas que estão sendo salvas", frisou o secretário estadual da Segurança Pública, coronel Vanius Cesar Santarosa.

Destacando o retorno à tendência de redução dos casos observada ao longo dos últimos três anos, a SSP avaliou que o resultado “atesta a efetividade das ações realizadas pelas forças de segurança após ligeira alta ocorrida em março, em especial para a rápida contenção de conflito pontual entre organizações criminosas em Porto Alegre”. Na soma de janeiro a abril, o RS também registrou diminuição nos assassinatos, passando de 564 ocorrências em 2021 para 544 casos em 2022. A redução foi de 3,5%.

Em Porto Alegre, abril fechou praticamente em estabilidade, com uma vítima de homicídio a mais em relação ao mesmo mês do ano anterior, passando de 24 para 25, uma diminuição de 4,2%. “O resultado destaca a reação das forças policiais para conter o conflito localizado na zona sul da cidade, que em março havia impactado em alta de 66% no número de assassinatos”, apontou a SSP.

“A articulação dessa série de medidas cessou o confronto na região, fazendo o indicador de homicídios em Porto Alegre ficar praticamente estável em abril. O arrefecimento no mês também colaborou para minimizar a alta no acumulado. Desde janeiro, a Capital soma 100 assassinatos, oito a mais que no mesmo período de 2021 (8,7%), ainda assim abaixo de qualquer outra marca da série histórica – na comparação com 2018, antes da implantação do RS Seguro, quando houve 230 vítimas nos primeiros quatro meses do ano, o dado atual representa queda de 56,5%. A expectativa das autoridades é de que já no fechamento de maio o impacto da alta em março tenha sido anulado, a curva retome a sequência de quedas apresentada ao longo dos últimos três anos”, acrescentou.

“O foco territorial adotado pelo programa RS Seguro, para combater o crime nos locais que apresentavam os indicadores mais elevados ao longo da última década, teve impacto significativo para diminuição dos homicídios no Estado. Entre os 23 municípios priorizados para monitoramento intensivo pela Gestão de Estatística em Segurança (GESeg), nove encerraram o mês sem nenhum assassinato – Cachoeirinha, Esteio, Gravataí, Guaíba, Ijuí, Lajeado, Novo Hamburgo, Pelotas e Viamão”, informou a SSP em nota oficial.

Já os feminicídios voltaram a cair em abril, após três meses em alta. Houve nove vítimas de assassinatos por motivo de gênero no RS, enquanto que o mesmo mês no ano passado teve 14 casos, o que representa baixa de 35,7%. “Embora significativa, a diminuição ainda não foi suficiente para reverter o cenário no acumulado desde janeiro, que ainda contabiliza duas vítimas a mais que no mesmo período de 2021, passando de 34 para 36”, observou a SSP.

Por sua vez, os latrocínios tiveram alta em abril, mas o acumulado segue no menor nível da série histórica. O número de roubos com morte no mês passou de três, em 2021, para seis em 2022, um aumento de 100%. “Ainda assim, o índice é o quarto menor da série histórica e se mantém no patamar observado nos últimos três anos, entre um dos mais baixos na curva de evolução desde 2002. Comparado com o dado de 2018, antes da implantação do RS Seguro, quando o Estado teve 14 latrocínios em abril, a marca deste ano representa retração de 57,1%”, constatou a SSP.

“Apesar da elevação em abril, o acumulado de latrocínios desde janeiro se mantém na menor soma desde o início da série histórica, em 2002. Foram 20 casos em todo o Estado nos primeiros quatro meses deste ano, um a menos que no mesmo período de 2021. Na comparação com o pico, de 72 ocorrências de roubo com morte de janeiro a abril de 2017, o dado atual representa uma retração de 72,2%”, complementou.

Todos os indicadores de criminalidade da SSP podem ser acessados neste link.


Foto: PC / Divulgação / CP Memória


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895