Suposto líder de quadrilha que fez ataques na Serra morre em hospital
capa

Suposto líder de quadrilha que fez ataques na Serra morre em hospital

Homem que participou de tentativa de sequestro de empresário foi baleado em troca de tiros com a Polícia Civil

Por
Halder Ramos

Cerco a um criminoso que permanece foragido continua na Serra

publicidade

O homem, que seria um dos líderes da quadrilha que realizou na última sexta-feira uma tentativa de sequestro de um empresário em Gramado, morreu no final da noite dessa segunda-feira após passar por cirurgia no Hospital São Miguel. Ele havia sido baleado em uma troca de tiros com policiais civis enquanto fugia das autoridades.

O criminoso, de 42 anos, integra o grupo que atacou um sítio de um empresário antes de tentar sequestrá-lo. Em confronto no bairro Três Pinheiros, o homem estava na companhia do irmão. A dupla foi responsável por abrir fogo contra dois delegados no começo da noite do último sábado. Os policiais estavam procurando os sequestradores, quando foram surpreendidos com os tiros disparados.

De acordo com a Polícia Civil, depois do tiroteio ainda em Gramado, os dois irmãos fugiram para a mata e se separaram. O bandido morto ainda se envolveria em mais dois confrontos, ambos ocorridos no domingo. No segundo, ele acabou baleado e em seguida encaminhado para receber atendimento médico no Hospital São Miguel. No entanto, não resistiu a procedimento cirúrgico.

O irmão do líder da quadrilha é o criminoso que segue foragido. Após se separar do comparsa, o homem seguiu para Canela. Para sair de Gramado, ele roubou um carro de turistas em uma pousada e fugiu. A partir daí, as buscas policiais estão concentradas no município. Até o momento, do grupo criminoso que seria formado por pelo menos oito pessoas, seis foram presas, uma morreu e outra segue foragida.

Segundo confirmação do delegado Vladimir Medeiros, o criminoso tinha antecedentes criminais, inclusive sendo condenado a 16 anos e quatro meses de reclusão por participação na morte do policial rodoviário federal Zilmar José Mattes, 31 anos, em setembro de 2002. O crime ocorreu em posto de combustíveis na BR 386, próximo ao município de Tio Hugo. O efetivo da PRF abordou um Volkswagen Golf. O policial rodoviário federal acabou baleado e morreu dias depois. O foragido também teria participado de um roubo a banco em São Francisco de Paula em 2006. Ele teria atirado contra uma viatura da Polícia Civil, atingindo dois agentes.