Susepe apura autoria de vídeos após tentativa de resgate na Penitenciária Estadual de Venâncio Aires

Susepe apura autoria de vídeos após tentativa de resgate na Penitenciária Estadual de Venâncio Aires

Um procedimento administrativo disciplinar foi aberto

Correio do Povo

Segurança foi reforçada na casa prisional

publicidade

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) confirmou na manhã desta segunda-feira a abertura de um procedimento administrativo disciplinar para a apuração dos autores dos vídeos que circularam nas redes sociais por ocasião da tentativa de resgate de detentos na madrugada de domingo passado na Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (PEVA). A casa prisional abriga cerca de 530 apenados. Uma revista geral nas galerias para extração de possíveis ilícitos também foi realizada.

Por volta das 2h de domingo, três veículos invadiram o acesso externo lateral da PEVA, próximo à estação de tratamento esgoto, sendo rompida a tela de contenção. Os criminosos atiraram contra uma guarita e o prédio da casa prisional, sendo repelidos pelos policiais militares e servidores penitenciários que estavam de plantão. Houve o confronto.

“Foi necessário um dos agentes da PEVA ir até a frente da casa prisional para cessar a tentativa dos homens de adentrarem na penitenciária. Nossos servidores evitaram que ocorresse o pior, impedindo os veículos de invadirem área interna da casa prisional”, lembrou a delegada penitenciária da 8ª Região da Susepe, Samantha Longo.

Os indivíduos estavam fortemente armados, inclusive com fuzis. Eles acabaram desistindo do plano e fugiram do local, abandonando dois veículos, um Jeep Renegade e uma Chevrolet Captiva, pois ficaram atolados na lama.

Houve a apreensão de materiais que seriam utilizados no resgate, como explosivos, garrafas de gasolina, um escudo de proteção, um esmerilhador para corte de grades e coquetéis molotov. Miguelitos largados na RSC 287, que deixaram até os pneus furados de uma viatura da Brigada Militar, também foram recolhidos.

Ainda durante a madrugada de domingo, a 8ª DPR executou uma operação de rescaldo, que foi comandada pelo Departamento de Segurança e Execução Penal da Susepe para busca e apreensões de materiais e outras provas. “Demais investigações serão determinadas oportunamente pela Seapen e Susepe”, adiantou o superintendente da Susepe, José Giovani Rodrigues de Souza.

De acordo com a Susepe, o provável alvo do resgate foi identificado e transferido para outro estabelecimento prisional por medida de segurança. A transferência do detento foi efetuada pelo GAES sob forte esquema de segurança. O Grupo de Ações Especiais (GAES) da Susepe e o Grupo de Intervenção Regional da 8ª DPR, juntamente com os servidores da PEVA, reforçaram a segurança da unidade prisional.

Por sua vez, os policiais militares do 23º BPM intensificaram o policiamento externo da casa prisional e realizaram buscas aos criminosos que fugiram após a tentativa fracassada de resgate. Um dos bandidos pode ter ficado ferido no confronto.

Vindo de Porto Alegre, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da Brigada Militar esteve no local para análise do material explosivo. O Instituto-Geral de Perícias (IGP) e a Polícia Civil também foram mobilizados na ocorrência.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895