Suspeito de chefiar quadrilha que roubou ouro em aeroporto de Guarulhos é preso

Suspeito de chefiar quadrilha que roubou ouro em aeroporto de Guarulhos é preso

Francisco Teotônio da Silva Pasqualini possui passagens roubo a carro forte em 1982 e 1993, segundo autoridades

Por
R7

Roubo em Guarulhos utilizou viaturas falsas da Polícia Federal


publicidade

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, na madrugada deste sábado, Francisco Teotônio da Silva Pasqualini, suspeito de ser o mentor intelectual do roubo de ouro no terminal de cargas do aeroporto de Guarulhos, em julho do ano passado. A quadrilha levou cerca de 750 kg de ouro que seriam embarcados em aviões. O valor estimado da carga era de R$ 120 milhões. 

Na conclusão do inquérito, em agosto do ano passado, o delegado Pedro Ivo Corrêa afirmou que a primeira fase da investigação já apontava para Pasqualini como chefe da quadrilha.“Ele tinha armamento e conhecimento para arregimentar outros para a participação no roubo”, explicou Corrêa. A prisão dele e de outros suspeitos já havia sido decretada em 2019. 

O homem foi localizado por policiais civis do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) que investigavam uma denúncia de tráfico de drogas nas proximidades da favela de Heliópolis, na capital. Ao ser abordado, Pasqualini admitiu que era fugitivo. 

De acordo com a investigação policial, Pasqualini tinha um relacionamento com a irmã de Peterson Brasil, outro preso envolvido no roubo milionário. Este, por sua vez, teria atraído Peterson Patrício, o funcionário do aeroporto que disse, em primeiro momento, que foi feito refém e, em seguida, confessado participação no crime.


Pasqualini, segundo o delegado, possui passagens por roubo a carro forte, em 1982 e 1993. Corrêa disse, também, que integrantes do grupo participaram de outros grandes roubos, como o da Prossegur, no Paraguai.