Suspeito de feminicídio ocorrido em Viamão é encontrado morto em Porto Alegre

Suspeito de feminicídio ocorrido em Viamão é encontrado morto em Porto Alegre

Veículo usado na fuga após o crime estava abandonado na nova ponte do Guaíba

Correio do Povo

Mergulhadores da Companhia Especial de Busca e Salvamento foram mobilizados

publicidade

O corpo do suspeito de cometer um feminicídio em Viamão foi localizado na manhã desta terça-feira em Porto Alegre. A ocorrência foi registrada na região próxima da rua João Moreira Maciel, que fica ao lado da BR 290. Já um Chevrolet Prisma, com placas de Viamão, que estava com o indivíduo, foi localizado ao amanhecer na pista da nova ponte do Guaíba. 

A Polícia Rodoviária Federal  foi inicialmente acionada sobre o automóvel abandonado e sem ninguém. Cartuchos deflagrados foram visualizados pelo efetivo da PRF dentro do veículo.

Mobilizados, os mergulhadores da Companhia Especial de Busca e Salvamento (CEBS) do Corpo de Bombeiros Militar realizaram as buscas e localizaram o corpo nas águas.

Já o Instituto-Geral de Perícias enviou equipes do Departamento de Criminalística e do Departamento Médico Legal. Policiais militares do 9º BPM compareceram igualmente no local. A Polícia Civil também esteve presente. 

Foto: PC / Especial / CP

Crime 

O feminicídio ocorreu na noite dessa segunda-feira em uma residência na rua Esmerilda da Silva Goulart, no bairro Vila Elza, em Viamão. A vítima, de 40 anos, que faria aniversário nesta terça-feira, foi morta no sofá com vários tiros pelo ex-companheiro, de 42 anos. Ela era professora da rede municipal de ensino em Gravataí.

Após o crime, ele fugiu no Prisma e não havia sido mais visto. O Instituto-Geral de Perícias foi requisitado para comparecer na moradia. O crime é investigado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Viamão. 

“Testemunhas ouviram três disparos. A princípio dois acertaram a vítima no rosto, mas isso só a perícia para confirmar”, observou a delegada Samieh Bahjat Saleh, titular da Deam de Viamão, à reportagem do Correio do Povo. O calibre da arma usada no crime, que ainda não foi localizada, está sendo verificado pelo Instituto-Geral de Perícias.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895