Tenente ferido em assalto tem alta do Hospital de Pronto Socorro, em Porto Alegre

Tenente ferido em assalto tem alta do Hospital de Pronto Socorro, em Porto Alegre

Ele foi baleado ao trocar tiros com dois criminosos que o atacaram na rua Vieira de Castro

Correio do Povo

Instituto-Geral de Perícias compareceu no local do crime

publicidade

O primeiro tenente do 11º BPM, de 46 anos, baleado e ferido durante assalto, teve alta na manhã desta quarta-feira no Hospital de Pronto Socorro (HPS), em Porto Alegre. O oficial da Brigada Militar, ex-comandante do Grupamento Rodoviário de Farroupilha, foi atingido por três tiros, que acertaram o joelho, tórax e punho, por dois criminosos que o atacaram na noite dessa terça-feira na rua Vieira de Castro, no bairro Farroupilha. 

"Em atendimento  no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre (HPS), foi verificado que a lesão no tórax e perna foram superficiais e a do punho rompeu uma artéria, e inspirava cuidados. Ao finalizar a cirurgia, que foi um sucesso, a situação de saúde do militar se encontrava estável. Na manhã desta quarta-feira(30), o militar recebeu alta e está sob os cuidados da família", informou o comandante do 9º BPM, tenente-coronel Ivens Giuliano, em nota oficial.

A vítima ainda conseguiu reagir e matou um dos bandidos, que tombou sem vida no local com um revólver calibre 38. Um suspeito de ser cúmplice foi preso depois pelos policiais militares da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) do 9º BPM, quando buscava atendimento médico também no HPS. Ele estava ferido na mão, possivelmente em decorrência do tiroteio com o tenente. Imagens de uma câmera de monitoramento registraram a detenção no saguão de entrada do HPS.

Em entrevista à reportagem da Record TV RS no local do crime, o capitão Eduardo Senter, do 9º BPM, relatou o ocorrido. “Ele estava aqui buscando seu filho e essa dupla tentou forçar a porta do veículo. Houve troca de tiros”, resumiu.

Conforme o capitão Eduardo Senter, a dupla de assaltantes chegou na região em um veículo de aplicativo, procurando então alguma vítima. “Viram que alguém estava dentro do veículo e acharam que a ocasião seria propícia para cometer este crime”, observou. Um motoboy que passava pelo local socorreu a vítima.

O local do crime permaneceu isolado para o trabalho do Instituto-Geral de Perícias. A ocorrência foi registrada depois na Polícia Civil.

Foto: Recod TV RS / Especial / CP


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895