Any Ortiz abre mão de disputa à Prefeitura de Porto Alegre e vai apoiar Melo

Any Ortiz abre mão de disputa à Prefeitura de Porto Alegre e vai apoiar Melo

Cidadania sugere o nome do engenheiro Flávio Presser para vice na chapa com MDB

Por
Lucas Rivas/Rádio Guaíba

Any Ortiz com o filho, uma das justificativas que a fizeram sair da disputa deste ano


publicidade

A deputada estadual Any Ortiz (Cidadania) abriu mão de disputar a Prefeitura de Porto Alegre e confirmou, nesta quinta-feira, que vai apoiar a candidatura do pré-candidato Sebastião Melo (MDB). Entre os fatores que pesaram para a decisão, o nascimento do filho e o comprometimento com os eleitores (veja nota abaixo). Em 2018, Any se tornou a deputada mais votada para o Parlamento gaúcho.

Embora Any tenha se retirado do páreo, o Cidadania sugere o nome do engenheiro Flávio Presser para vice de Melo. A definição, porém, ainda depende de acordo. O Solidariedade também já firmou apoio ao emedebista. Nas pesquisas de intenção de voto, a parlamentar já vinha pontuando junto ao eleitorado.

Com o recuo de Any Ortiz, a disputa a prefeitura pode ter seis mulheres, em vez de sete, encabeçando chapas majoritárias: Carmen Flores (PSC), Fernanda Melchionna (PSOL), Juliana Brizola (PDT), Manuela d’Ávila (PCdoB), Nadia Gerhard (DEM) e Priscila Voigt (UP).

Além das pré-candidatas, o tabuleiro eleitoral também conta com André Cecchini (Patriota), Gustavo Paim (PP), João Derly (Republicanos), José Fortunati (PTB), Montserrat Martins (PV), Nelson Marchezan Jr. (PSDB), Rodrigo Maroni (PROS) e Valter Nagelstein (PSD).

Confira o comunicado de Any Ortiz:

A proximidade do processo eleitoral faz com que a gente precise tomar algumas decisões que nem sempre são fáceis.

Quero primeiramente agradecer o reconhecimento de quem acompanha o meu mandato como deputada e confia no meu trabalho, agradecer por ter recebido apoio e incentivo dos candidatos a vereador do Cidadania em Porto Alegre, mas apesar da vontade de ser prefeita da minha cidade, de querer fazer mais por Porto Alegre, decidi não participar desta eleição como candidata a prefeitura.

Meu filho é muito pequeno, ele precisa muito de mim, principalmente nos dois primeiros anos que são os mais importantes para sua formação, além disso por causa da pandemia ele não poderia estar junto comigo em uma campanha que nos exige muito. Um bebê precisa de colo, amor, carinho e exemplo, quero ser o pilar principal na construção desse serzinho que é o meu maior projeto.

Também pesa muito na minha decisão o respeito aos quase 95 mil gaúchos e gaúchas que me colocaram entre os três deputados mais votados da Assembleia Legislativa na eleição de 2018.

Não concorrer à prefeitura de Porto Alegre não significa que estarei fora da eleição.

Porto Alegre tem muitos desafios, que se potencializaram com o surgimento da pandemia. Infelizmente falta liderança e diálogo na busca por alternativas para minimizar os efeitos da doença. Iremos pagar um preço alto por tanto descaso e palavras vazias.

Eu quero o melhor para a minha cidade, por isso, não compactuo com a ideia de colocar o futuro de Porto Alegre nas mãos das candidaturas da esquerda destrutiva. Como também não concordo em manter um projeto autoritário de cidade.

Vamos construir um projeto que reunirá pessoas com responsabilidade e experiência na forma de administrar.

E a nossa decisão que foi tomada em reunião virtual da executiva do partido juntamente com nossos mais de 50 pré-candidatos a vereador é de apoiar Sebastião Melo a prefeito de Porto Alegre.


Além disso, estamos indicando o Engenheiro Flávio Presser para compor a chapa majoritária.