Aposta premiada na Mega-Sena não incluiu nenhum deputado, afirma Paulo Pimenta
capa

Aposta premiada na Mega-Sena não incluiu nenhum deputado, afirma Paulo Pimenta

Político gaúcho afirmou que bolão foi realizado entre os funcionários de sua equipe

Por
Correio do Povo

Segundo Paulo Pimenta, bolão premiado foi realizado entre os funcionários que trabalham em seu gabinete

publicidade

O deputado federal gaúcho Paulo Pimenta confirmou na noite desta quarta-feira que o bolão premiado na Mega-Sena não teve a participação de nenhum parlamentar petista. "Sou pé quente. Foi a minha equipe que ganhou. Eu não participei e nem nenhum deputado, mas estamos naturalmente muito felizes", afirmou.

O sorteio do concurso 2.189, realizado em São Paulo, teve como único premiado o bolão feito por assessores da liderança do PT na Câmara dos Deputados. A aposta foi realizada com 49 cotas. Segundo Pimenta, cada cota foi adquirida por R$ 10,00. "Algumas pessoas jogam seguido. São todas pessoas que trabalham conosco. Naturalmente, é uma notícia impressionante. Estamos todos tentando 'cair a ficha'", explicou.

Pelo rateio, cada um dos cotistas receberá R$ 2,5 milhões. O deputado afirmou que o fato é histórico para o partido e, em tom de brincadeira, citou algumas das piadas que circulam nas redes sociais após a divulgação da informação. "Parece que o Bolsonaro quer demitir o presidente da Caixa Econômica Federal", riu. 

A repercussão não se restringiu às redes. No plenário da Câmara dos Deputados - que nesta noite votava o projeto da minirreforma eleitoral, o assunto também gerou brincadeiras. "Os assessores da liderança do PT ganharam na Mega-Sena. E eu quero aqui parabenizá-los e agradecer pelo PT ficar um mês sem liderança, sem obstruir o plenário. Vai ser uma maravilha agora a votação. E eu quero ver se o pessoal vai socializar esse dinheiro aí ou se vai ficar só na liderança", disse no plenário o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). Ao que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), respondeu: "Deputado Kim, você tem que ser liberal em tudo".

O colega Aliel Machado (PSB-PR) emendou: "Me parece aqui que o PT vai mudar de orientação e não quer mais taxar grandes fortunas. Parece que o PT vai querer ficar com as fortunas. E a gestão Bolsonaro vai ter que pagar para o PT a Mega-Sena. Eu proponho até que ele [o presidente Jair Bolsonaro] faça um cheque simbólico e venha entregar pessoalmente nesta casa."