Arthur do Val retira pré-candidatura ao governo de São Paulo

Arthur do Val retira pré-candidatura ao governo de São Paulo

Deputado desiste de concorrer ao Palácio dos Bandeirantes após críticas por áudio pejorativo contra mulheres da Ucrânia

R7

Arthur do Val retirou pré-candidatura

publicidade

O deputado estadual Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei, retirou neste sábado (5) sua pré-candidatura ao governo de São Paulo por conta da repercussão do áudio em que ele menospreza mulheres ucranianas, dizendo que elas "são fáceis porque são pobres".

"Faço isso por entender que nesse momento delicado da política nacional é necessário preservar o árduo trabalho de todos aqueles que se dedicam na construção de uma terceira via. O projeto não merece que as minhas lamentáveis falas sejam utilizadas para atacá-lo", anunciou o parlamentar nas redes sociais.

Segundo do Val, a presidente nacional do Podemos, Renata Abreu (Podemos-SP), já foi informada da sua decisão. O deputado disse que "não tem compromisso com o erro" e pediu desculpas pelas afirmações sobre as ucranianas.

Os áudios que vazaram de uma conversa privada com amigos são lamentáveis. "Não são corretos com as mulheres brasileiras, ucranianas e com todas as pessoas que depositaram confiança em meu trabalho e, por isso, peço desculpas", escreveu.

Repercussões

O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB) disse neste sábado (5), por meio de nota, ser “inaceitável e que será tratada com rigor e seriedade pelas esferas de investigação do parlamento” as declarações depreciativas feitas pelo deputado. A presidente do Podemos, deputada federal Renata Abreu (SP), disse que as declarações são "gravíssimas e inaceitáveis".

O ex-juiz Sérgio Moro, pré-candidato à Presidência, repudiou as afirmações do deputado e disse que não dividirá palanque com ele. A namorada de do Val, Giulia Blagitz, anunciou nas redes sociais que eles "seguiriam caminhos distintos", e a ex-embaixatriz da Ucrânia no Brasil Fabiana Tronenko pediu que ele tenha o mandato cassado.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895