Associação de Juristas denuncia Bolsonaro ao Tribunal de Haia
capa

Associação de Juristas denuncia Bolsonaro ao Tribunal de Haia

Denúncia alega que chefe do Executivo praticou crime contra a humanidade ao incentivar ações que aumentam risco de contágio do coronavírus

Por
AE

Denúncia foi motivada por ações do presidente durante crise do Coronavírus


publicidade

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) protocolou na quinta-feira, 2, uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional em Haia, nos Países Baixos. Na denúncia, a entidade alega que o chefe do Executivo praticou crime contra a humanidade ao incentivar ações que aumentam o risco de proliferação do novo coronavírus. 

Desde o início do avanço da covid-19, Bolsonaro minimizou a letalidade da doença e criticou o isolamento recomendado pelo próprio Ministério da Saúde. A denúncia recupera um estudo da Imperial College, de Londres, que estima que até 1,1 milhão de brasileiros poderiam morrer caso as medidas de prevenção não fossem adotadas. 


"É precisamente o presidente da República quem incita as pessoas a retornarem a seus postos de trabalho, as crianças a voltarem às escolas, os jovens a retornarem às universidades e as pessoas a circularem normalmente pelas ruas", afirma o documento.